quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Imagem de uma forte explosão no universo...

Uma das erupções mais intensas já avistada, foi capturada pelo Observatório de Raios-X Chandra da Nasa, no aglomerado MS 0.735,6 + 7421.

O gás quente (em azul), corresponde a uma grande parte da massa desse imenso objeto.

Registros feito por Chandra, mostram orifícios ou cavidades, que puderam ser observados, pois tiveram suas origens devido a uma explosão de um buraco negro supermassivo no centro do aglomerado, que expeliu enormes jatos encontrados nas ondas de rádio (em rosa), que foram detectados pelo observatório de radioastronomia Very Large Array (VLA)*.

Todos os dados, foram ajustados com os registros ópticos do Telescópio Espacial Hubble, das galáxias no aglomerado e estrelas no campo visual (em laranja).

Essa imagem logo abaixo, foi liberada do arquivo Chandra.


*O observatório de radioastronomia Very Large Array (VLA). fica situado na Planície de San Agustin, entre as cidades de Magdalena e Datil, acerca de 80 km (50 milhas) a oeste de Socorro, no Novo México (EUA).

Fonte:
http://www.nasa.gov
http://www.newmexico.org
https://translate.google.com.br

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Eclipse Solar Anular no dia 1 de setembro de 2016...

Esse eclipse acontece quando a Lua não encobre totalmente o Sol, mas apenas o seu disco, e ficando ao redor da Lua um anel de luminosidade, também denominado "Anel de Fogo" e ou "Ring of Fire" em inglês.

O eclipse solar anular, será visível na África e no Oceano Índico, pois em muitos lugares em seu trajeto, não será avistado em sua totalidade como um anel brilhante, ele só será observado como eclipse solar parcial.

Ele será visível anular sobre a República Democrática do Congo, Madagascar e outros países do centro da África; e sendo parcial no Sul da Ásia, Austrália Ocidental, grande parte da África, oceano Índico.

Veja abaixo a relação de algum lugares onde será um eclipse solar anular e onde será um eclipse solar parcial.


Cidades dos países da África, onde será avistado o eclipse anular:

Franceville, no Gabão - Mahajanga e Toamasina, em Madagascar -  Saint-Paul e Saint-Pierre, em Reunião (departamento ultramarino francês no oceano Índico).


Cidades de países que avistaram o eclipse parcial serão: 

Accra, em Gana - Lagos, na Nigéria - São Tomé e Príncipe, na República Democrática de São Tomé e Príncipe - Malabo, na Guiné Equatorial - Libreville, no Gabão - Yaoundé, em Camarões - Brazzaville, no Congo - Kinshasa, na República Democrática do Congo - Kigali, em Ruanda - Bujumbura, em Burundi - Nairobi, no Quénia - Dodoma, na Tanzânia - Lilongwe, em Malawi - Dar es Salaam, naTanzânia - Pemba, em Moçambique - Moroni, em Comores - Mamoutzou, em Mayotte - Antananarivo, em Madagascar - Saint-Denis, em Reunião (departamento ultramarino francês no oceano Índico) - Port Louis, em República de Maurício.


O próximo eclipse solar anular, será no dia 26 de fevereiro de 2017.

Dica:

Quando for observar um eclipse solar, nunca olhar diretamente sem devidos cuidados: em hipótese alguma deixe de usar um filtro especial em seus equipamentos como telescópios ou binóculos, pois a luz solar pode vir a danificar seus equipamentos e também vir causar sérios riscos a sua visão, chegando até a cegueira definitiva.

Fonte:
http://www.timeanddate.com
http://www.bustle.com
http://postagenszm.blogspot.com.br
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Estrela que desafia a idade...

Uma estrela um tanto peculiar, denominada IRAS 19312 + 1950, desafia a idade com características de uma estrela bem jovem e também de uma estrela bem velha. O Telescópio Espacial Spitzer da Nasa, capturou imagem dessa intrigante estrela.

Você pode observar uma brilhante estrela vermelha, que está no centro da imagem que está logo abaixo.

Essa estrela tem um brilho extremo, está dentro de uma grande nuvem rica de materiais químicos.

Uma equipe de especialistas liderada pela Nasa, acreditam que essa estrela possui aproximadamente 10 vezes a massa do nosso Sol e irradia a cerca de 20.000 vezes mais energia. É uma proto-estrela recém-formada.

A informação da IRAS 19312 + 1950 ser recém-formada, surpreendeu os especialistas, pois a região onde ela se encontra não era conhecida anteriormente como uma berçário estelar.

Porém a presença de uma bolha interestelar que está na vizinhança, insinua que também há na região uma estrela de grande massa recém-formada, e isso vem corroborar esse conceito.


Fonte:
http://www.nasa.gov/
http://arxiv.org
https://translate.google.com.br

domingo, 28 de agosto de 2016

Maratona espacial...

No dia 24 de abril de 2016, o astronauta britânico Tim Peake, da Agência Espacial Européia (ESA), correu uma maratona a bordo da Estação Espacial Internacional (EEI), simultaneamente com a maratona que há em Londres, sendo a maior corrida em massa da Grã-Bretanha, com mais de 37 mil corredores nas ruas.

A partir da EEI, o astronauta britânico, foi quem deu a largada oficial da corrida, através de um vídeo onde ele disse as seguintes palavras: "Espero ver todos vocês na linha de chegada", utilizando um iPad, viu em tempo real as ruas de Londres, sendo 402 km abaixo dele.

Preso a uma esteira a esteira ergométrica e amarrado por elásticos em torno do peito e dos ombros, correu uma distância de 42 Km, aos 44 anos, sob gravidade zero, ele completou a maratona em 3 horas e 35 minutos.

No ano de 1999, quando ele participou da mesma maratona, mas só que aqui na Terra mesmo, ele fez em 3 horas, 18 minutos e 50 segundos, significando que no espaço ele foi um quarto de hora mais lento. Tim Peake se tornou o primeiro homem e a segunda pessoa a correr uma maratona no espaço a bordo da EEI.

A primeira pessoa a participar de uma maratona espacial foi uma mulher, a astronauta americana Sunita Williams, da Nasa, que no dia 16 de abril de 2007, também presa a uma esteira correu a maratona de Boston (EUA), em tempo real, onde fez um tempo de 4 h e 23 minutos em um percurso de 42 km.

Fonte:
http://www.bbc.com
https://commons.wikimedia.org
https://noticias.terra.com.br

sábado, 27 de agosto de 2016

Os planetas Vênus e Júpiter em conjunção...

 Hoje a noite após o pôr do sol por volta de 30 a 40 minutos, olhe para o horizonte no céu, em direção do poente, e você vai avistar os planetas Vênus e Júpiter em conjunção, mas fique atento, pois eles estarão visíveis por aproximadamente 40 minutos, pois logo ao escurecer, eles iram sumir na linha do horizonte.

Essa proximidade desses dois planetas, em distância podemos dizer que é superior a meio bilhão de km.

Depois do Sol e da Lua, esses dois planetas são classificados como o terceiro (Vênus) e o quarto (Júpiter), os mais brilhantes objetos celestes no nosso céu.

O planeta Mercúrio, também vai estar perto, mas ele tem o brilho muito fraco para ser observado.

Procure observá-los hoje (sábado) e amanhã (domingo). Sendo que hoje, Vênus vai estar parecendo amontoado com Júpiter, e amanhã Vênus vai estar acima de Júpiter.

Pegue um binóculos ou um telescópio, pois será bem legal essa conjunção. Se você não tiver nenhum equipamento de observação, não há problema, você também poderá avistá-los.


Lembre-se, se você perder, terá que esperar até no mês de março de 2023 para poder ver eles desta forma.

Fonte:
http://earthsky.org
postagenszm.blogspot.com.br
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

Descoberto planeta com possibilidade real de água líquida...

Uma equipe de cientistas da Universidade Queen Mary de Londres, no Reino Unido, liderada pelo astrônomo Anglada-Escudé, descobriu um planeta semelhante a Terra, que orbita a estrela Proxima Centauri, que está a uma distância em aproximadamente 4,2 anos-luz (aproximadamente 40 trilhões Km de distância), é a estrela mais próxima de nós, depois do Sol.

O planeta denominado Proxima b, é sugerido pelos especialista que ele seja rochoso, semelhante ao nosso planeta, mas com um tamanho menor, possuindo aproximadamente uma massa equivalente 1,3 vez a da Terra. Esse planeta, orbita a sua estrela, em uma boa distância para que tenha presença de água em estado líquido, e assim podendo ser habitável.

Em pesquisas anteriores, indicava que havia um planeta orbitando a estrela Proxima Centauri. Através do espectrógrafo (faz registro fotográfico de um espectro luminoso) do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile no ano 2000, foi registrado alterações na luz da estrela a cada 11,2 dias, isso então indicava que poderia ser um planeta orbitando, mas não podia ser descartado que essas alterações também poderiam vir a ser erupções estelares.

No mês de janeiro de 2016, Anglada-Escudé e sua equipe, conseguiram com a ESO, a utilização de um segundo equipamento, um telescópio caça-planeta, por 20 minutos quase todas as noites entre 19 de Janeiro e 31 de Março.

"Assim que tivemos 10 noites, foi óbvio", relata Anglada-Escudé.

O planeta Proxima b, orbita a estrela Proxima Centauri, a uma distância aproximada de 7.5 milhões de km, em comparação da distância entre o nosso Sol e a Terra, é o equivalente de 5%.

A estrela Proxima Centauri, é tão fraca que o seu brilho é aproximadamente 10 mil vezes menor que o nosso Sol, ela é uma estrela anã vermelha, e o planeta Proxima b, aparenta avermelhado ou alaranjado, igual a tonalidade das noite quentes do nosso planeta, segundo o líder da pesquisa Anglada-Escudé.

Existem fatores que podem ser insuportável a vida no planeta, mesmo que nele possa ter água líquida, um deles é a força de maré que pode vir a ser bloqueada, significando que o mesmo hemisfério está sempre virado para a estrela, esquentando um lado do planeta, enquanto o outro permanece frio, outro fator, poder ser que sua estrela seja muito ativa e que pode emitir uma forte radiação por meio de alargamentos (explosões) de raios-X destrutivos. Ainda não está evidenciado que o planeta possui uma atmosfera protetora, propícia à vida.

"A descoberta do planeta Proxima b, vem em um momento de crescente interesse científico em pequenos planetas em torno de estrelas anãs, falou Steinn Sigurdsson, um astrofísico da Universidade Estadual da Pensilvânia, em University Park (EUA).

Essa descoberta foi informada e publicada na revista Nature no dia 24 de agosto de 2016.

Fonte:
http://www.nature.com
http://postagenszm.blogspot.com.br
http://g1.globo.com
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Uma rotina nada fácil no espaço...

Quando os astronautas/cosmonautas, são enviados para alguma missão no espaço, além de ter muita coragem, pois qualquer viagem espacial pode haver risco de morte, eles tem que ter algumas concepções científicas e também conhecimentos de engenharia.

No espaço eles tem em sua rotina diária, a realização de experimentos em áreas de ciências físicas e biológicas.

Eles também tem a responsabilidade de cuidados com a nave espacial, e manter contato com o centro de controle de missão.

Devem fazer atividades físicas, cuidados pessoais como a higiene, e o seu descanso.

O importante é destacar, que quando estão na Terra, o Sol nasce e se põe, apenas uma vez ao dia, mas no espaço já é bem diferente, pois isso ocorre com maior frequência, pois o Sol nasce e se põe por 16 vezes. Sendo assim, os astronautas/cosmonautas, podem ter dificuldades para dormir.

E não para por aí, porque além de tudo isso, existe a microgravidade, e assim eles precisam ser amarrados para repousarem, ou seja, dormir, e dessa forma, pode haver um certo desconforto.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Pirâmide no Cazaquistão...

Encontrada em uma área do Cazaquistão, uma tumba em forma de pirâmide que tem uma data prevista de aproximadamente 3.000 anos de idade ou mais, e desta forma se torna uma das mais velhas pirâmides existentes sendo comparada com as pirâmides do Egito.

Ela está localizada na região de Sary-Arka, próxima da cidade de Karaganda, é acreditado pelos arqueólogos que fizeram essa descoberta, que provavelmente foi construída por um rei ou por um líder de um clã.

Um dos especialista que faz parte da equipe, chamado Viktor Novozhenov, da Universidade Estadual de Karaganda disse ao Yahoo News: "A julgar pela construção monumental, esta tumba foi construída há mais de 3.000 anos por um rei local" e continuou..."Vamos olhar para dentro do mausoléu essa semana. Tudo o que encontrarmos dentro vai ser enviado para o Museu Arqueológico de Karaganda".


A tumba, possui seis degraus de camadas com um topo plano, e tem aproximadamente 2 metros (6,6 pés) de altura e 15 por 14 metros (49 por 46 pés) de comprimento. Sua construção foi feita por pedra, terra e reforçada por lápides na parte exterior. Seu tamanho é pequeno para uma pirâmide, mas teve o mesmo propósito das pirâmides egípcias, segundo os especialistas da equipe que é liderada por Igor Kukushkin da Universidade Estadual de Karaganda.

"Hoje encontramos um pequeno grupo de ossos humanos que estavam espalhados ao redor das sepulturas. Provavelmente, os ladrões esparramaram os ossos pela tumba em busca de objetos de valor", falou o líder da equipe de especialistas.

Foi também encontrado no interior da tumba, faca de bronze, pontas de flechas, objetos de cerâmica e ossos de animais.

A pirâmide de Djoser em Sakkara, no Egito, foi construída entre 2667 e 2648 aC (por volta de 1.000 anos antes). A Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, foi construída aproximadamente 100 anos mais tarde, e assim se torna  mais antiga, do que essa pirâmide encontrada no Cazaquistão. Apesar que ainda não está bem claro a data mais provável, pois ainda vai levar um certo tempo de estudo e pesquisas para se ter uma data mais precisa, segundo os especialistas.

Fonte:
https://www.yahoo.com
http://www.dailymail.co.uk
https://www.google.com.br/maps
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Chuva de substância negra caiu sobre uma cidade dos Estados Unidos...

No dia 20 de fevereiro de 2016, uma chuva um tanto diferente caiu sobre a cidade de Harrison Township, nos estado de Michigan (EUA).

Moradores ficaram assustados, relataram que se tratava de uma substância negra e oleosa, que caiu sobre a superfície da cidade, onde atingiu as ruas, calçadas, casas e carros.

O corpo de bombeiro local, na época descartou a possibilidade de ser excremento de aves e, em um teste preliminar com amostras colhidas pelo Departamento de Qualidade Ambiental, também foi desconsiderado que a substância poderia ser inflamável ou até mesmo venenosa.


No céu dessa região é proibido o tráfego aéreo, mas também não foi descartado que a substância poderia ser de uma aeronave que passou sobre o céu da cidade, porque uma instalação da Guarda Aérea Nacional (Selfridge Air National Guard Base), fica localizada em Harrison Township, mas essa possibilidade é mínima.

Um oficial da Força Aérea, o brigadeiro. Gen. John D. Slocum, comandante da Ala 127 e também comandante da base Selfridge que auxiliou na investigação dessa intrigante chuva, disse naquela ocasião que ocorreu esse fato "Vamos continuar trabalhando com nossos parceiros, agências locais e estaduais para resolver essa questão".


Observação: Não consegui encontrar informação alguma até o presente momento a respeito da conclusão dessa substância que caiu sobre a cidade de Harrison Township.

Fonte:
https://jasperandsardine.wordpress.com
http://www.fox2detroit.com
http://abcnews.go.com
https://translate.google.com.br

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Pegada enorme em granito na África do Sul...

No ano de 1912 um caçador denominado Stoffel Coetzee, encontrou uma enorme marca de pé gravada em granito bruto, em uma área de difícil acesso, onde a vida selvagem se faz presente.

Essa descoberta foi em uma área nas proximidades da cidade Mpaluzi, na divisa de Suazilândia no Continente Africano.

Essa pegada com aproximadamente 1.22 metros (4 pés) de comprimento é estimada que tenha entre 200 milhões e 3 bilhões de anos, devido ao entendimento atual que há a respeito da formação de granito no nosso planeta.

A ideia de formação dessa pegada por erosão natural, é acreditado por alguns especialistas; mas já outros geólogos estão animados com esse exemplar de pegada no granito, pois isso significa ser marca de um pé de gigante.

"Há uma maior probabilidade de que os homenzinhos verdes tenham chegado aqui vindo do espaço, do que ser produzido por uma erosão natural", foi o que sugeriu o Professor  Pieter Wagener da Universidade de Port Elizabeth (UPE) no Cabo Oriental, província da África do Sul.

Está descartado a possibilidade ser uma farsa, ou seja, feito por mãos humanas, pelo fato de estar em uma área de acesso complicado, e também de ser difícil de ser localizada.

Até o presente momento, essa pegada permanece no mesmo estado de conservação de quando foi achada pela primeira vez.

Veja o vídeo, clic no link abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=dRuxw-nZoJw

Fonte:
https://www.youtube.com
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Reflexos...(frase)

Os reflexos do céu na Terra são limitados e imperfeitos, como as incompletas existências que a habitam. Se não fosse assim, invejariam os anjos a vida na Terra. (Almeida Garrett)


João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett (1º Visconde de Almeida Garrett) 1799 a 1854. Foi escritor e dramaturgo romântico, orador, par do reino, ministro e secretário de estado honorário português e também foi grande impulsionador do teatro em Portugal. (Wikipédia)

domingo, 21 de agosto de 2016

Veja online o que SDO registra...

Solar Dynamics Observatory (SDO) é uma sonda não tripulada da Nasa, que analisa os processos do Sol que prejudicam diretamente a vida no nosso planeta.

Esse instrumento já está online, e envia os registros científicos de volta para o nosso planeta, abrangendo imagens do Sol em tempo real.

Se você tiver interesse em ver os registros online, click no link abaixo:
sdo.gsfc.nasa.gov/data

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

sábado, 20 de agosto de 2016

ESO 510-G13 - Uma galáxia anormal...

Essa galáxia se localiza na constelação Hydra, por volta de 150 milhões de anos-luz de distância do nosso planeta.

O Observatório Europeu do Sul, no Chile, observou a ESO 510-G13, sendo a primeira vez que foi avistada essa galáxia em fotografias a partir da Terra.

O Telescópio Espacial Hubble foi utilizado pela equipe, que usaram  WFPC2 (campo largo e câmera planetária 2) para observar ESO 510-G13, no mês de abril de 2001 (imagem abaixo). As cores em azul, verde e filtros vermelhos foram juntadas para fazer esta imagem com mistura de cores, que evidencia a diferença entre os braços espirais empoeirados, a relevância de brilho, e as regiões azuis de formação estelar.

Na imagem abaixo você pode observa que ESO 510-G13, demonstra  uma estrutura de disco torcido anormal; para você ter uma ideia, é só você comparar essa galáxia com a Via Láctea, pois nossa galáxia que é espiral e possui poeiras e braços normais.

Essa anomalia na galáxia, indica que ela colidiu há pouco tempo com outra galáxia que estava nas proximidades e está na fase de fundir, ou seja, elas estão interagindo, e sendo assim, as forças gravitacionais distorcem as galáxias, e as suas estrelas, gás e poeira se unem no decorrer de milhões de anos. Quando essa pertubação findar, a ESO 510-G13 será uma única galáxia.

Na imagem é observável, particularmente o lado direito, indica que em locais fora da galáxia há poeira escura e nuvens brilhantes de estrelas azuis (quentes), significando que novas estrelas estão sendo formadas no disco torcido. É acreditado pelos pesquisadores que essa formação de estrelas, se deu pelo fato da colisão entre as galáxias e suas nuvens interestelares estão condensadas.

Fonte:
https://www.nasa.gov
http://www.esa.int
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Cavernas de Longyou...

Denominada Longyou Caves devido a sua localidade (ver mapa abaixo), são enormes cavernas artificiais realizadas pelo homem.

Elas estão localizadas próxima da aldeia de Shiyan Beicun na região de Zhejiang, na China, onde no ano de 1992, um agricultor da localidade resolveu drenar as águas de uma lagoa, e descobriu esse complexo de cavernas, e através de especialistas foi revelado de que se tratava de enormes cavernas geradas na antiguidade pelo homem.

A respeito desse complexo de cavernas, até o momento não foi encontrado nenhum relato ou indicação sobre elas na história, mas é pensado que elas foram construídas por volta de 2.000 anos atrás.

Essas cavernas que somam um total de 36, são bem sólidas e formadas de siltitos (rochas cujos grãos diversificam de 0,002 mm a 0,06 mm, podendo ter cores amarronzadas, verdes ou esbranquiçadas), cobrem uma extensão de aproximadamente 30 km² (19 mi²) e descem à uma profundidade acerca de 30 metros (98 pés).

Em suas paredes há desenhos com linhas e símbolos gravados, mas que ainda não foram decifrados os seus significados.

Ainda é um enorme mistério a respeito dessas escavações subterrâneas, pois especialistas até agora não tem nenhuma noção de como foi feita, o por quê de ser construída, e nem para que servia.


Mesmo assim em torno de um grande enigma sobre esse complexos de cavernas, elas são abertas à visitações.

Fonte:
http://www.vhotel.org
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br
https://www.google.com.br/maps

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

As cores no fenômeno de dispersão...

O céu que avistamos azul, é devido ao evento físico denominado dispersão ou espalhamento.


Na verdade o nosso astro rei, o Sol, possui as cores do arco-íris, e não a luz branca que sempre vemos. A luz branca é o resultado da soma das cores do arco-íris, que são: violeta, azul, verde, amarelo, laranja e vermelho, e cada uma delas com um comprimento de ondas.

Quando a luz solar adentra atmosfera, ela impacta com as partículas de gases na atmosfera que fazem parte da atmosfera, e assim as luzes (cores) são filtrada pela atmosfera e são separadas, e nesse momento se dá a dispersão das cores (luzes).

As cores são espalhadas em todas as direções e com diversas tonalidades e cada uma delas com o seu comprimento de ondas distintos.

Já a cor azul, é mais dispersada que as outras cores, devido por ela possuir o comprimento de onda acerca da mesma dimensão das partículas de gases na atmosfera que compõe a atmosfera.

O Sol no horizonte, vemos ele na cor vermelha, isso porque a luz azul precisa percorrer uma grande camada da atmosfera para chegar ao nosso alcance de visão, mas há uma dispersão tão grande que ela não dá conta de chegar aos nossos olhos, e como o amarelo até o vermelho acontece menos dispersão, pois o comprimento de ondas é menor, o vermelho chega mais facilmente.


Às vezes, todo o céu ocidental parece brilhar. O céu parece vermelho porque as partículas maiores de poeira, poluição e vapor de água na atmosfera refletem e dispersam mais os vermelhos e amarelos.

Fonte:
https://en.wikipedia.org
https://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Uma galáxia sem aparência regular...

Se trata da galáxia NGC 2337, que foi encontrada no dia 17 de janeiro de de 1877 pelo astrônomo francês Édouard Stephan.

A NGC 2337, fica em uma distância de aproximadamente 25 milhões de anos-luz da Terra, na direção da constelação de Lynx, ela é uma galáxia irregular, ou seja, ela não possui uma aparência distinta ou regular.

Apesar de não serem consideradas uma das mais belas galáxias, as galáxias irregulares, são consideradas muito importante para os especialistas, pois elas podem ser de uma grande ajuda no entendimento sobre a evolução galática e sobre a interação.

As interações gravitacionais entre galáxias, podem impulsionar a atividade de formação de estrelas dentro das galáxias perturbadas, e isso explica as bolsas de luz azul esparramadas por toda a galáxia NGC 2337.

Essas manchas e componentes de sinais em azul, indicam a presença de jovens estrelas quentes recém-geradas.


A imagem foi capturada pelo Telescópio Espacial Hubble, utilizando o infravermelho e óticas de câmera avançada. Atribuição de cores diferentes para cada imagem monocromática foi integrada a um filtro individual.

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Satélite capta incêndio na Ilha da Madeira...

O satélite Aqua, registrou um imagem em cor natural, quando passou em cima do arquipélago no dia 10 de agosto de 2016. A imagem você pode observar logo abaixo.

A imagem retrata fumaças de diversos incêndios de queimadas na Ilha da Madeira em Portugal, as fumaças foram observadas sendo assopradas para o oceano Atlântico. O acentuado fogo foi detectado pelo MODIS, que está destacado em vermelho.


Ilha da Madeira:

É um arquipélago de quatro ilhas, localizado na extensa costa ao noroeste da África. As ilhas que compõe esse arquipélago são: Madeira (a maior) e o Porto Santo, que são habitadas e duas ilhas desabitadas, que recebem o nome de Desertas e Selvagens. As ilhas são uma região autônoma de Portugal.

A Ilha da Madeira, tem por origem história vulcânica, possui uma área acerca de 742,4 km², com uma vasta flora exótica e tem um clima subtropical. A grande procura para visitação, faz do turismo gerar a economia local.


O satélite e seu instrumento:

O MODIS da Nasa (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer), é um instrumento que foi lançado para a órbita terrestre pela Nasa, no ano de 1999 a bordo do satélite Terra (EOS AM), e depois no dia 4 de maio de 2002, foi lançado na órbita da Terra, a bordo do satélite Aqua da Nasa.

Estes instrumentos MODIS, nos concede uma observação sem igual da atmosfera da Terra e dos fenômenos do mar, é utilizado por uma comunidade vasta e sortida de usuários em todo o mundo.


Fonte:
https://www.nasa.gov
http://www.madeira-web.com
http://modis.gsfc.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Vênus já foi semelhante a Terra...

Pesquisadores, no decorrer do tempo tinham como teoria que Vênus, era formado a partir de elementos parecidos com os do nosso planeta, mas sua evolução partiu para uma trilha diferente.

O programa espacial da Nasa, a missão Pioneer nos anos 1980, insinuou pela primeira vez que o planeta Vênus, na sua origem pode ter possuído um oceano, porém o planeta é próximo ao nosso astro rei, e recebe a luz solar com intensidade maior que nós aqui na Terra; então possivelmente o oceano deve ter evaporado, as moléculas de vapor de água devem ter sido desintegradas pela radiação ultra violeta, o hidrogênio expelido ao espaço e o dióxido de carbono integrado na atmosfera, onde faz gerir o denominado efeito estufa, que deu origem as condições atuais.

A rotação de Vênus, possui um alto grau de lentidão, para se ter uma ideia, um único dia nesse planeta, leva aproximadamente 117 dias terrestres, e isso significa que afeta se ele tem um clima habitável. Pequisas recentes, indicam que uma fina atmosfera como o da Terra moderna poderia ter acarretado o mesmo resultado. Significando que se o planeta Vênus antigo tivesse uma atmosfera semelhante à Terra poderia ter tido a mesma taxa de rotação que a atual, ou seja, no primórdio Vênus por mais que tivesse uma fina camada como a Terra e que girava na mesma rotação nos dias de hoje, impossibilitaria a vida.

Modelagem em computador:

Então o planeta Vênus, pode ter tido um oceano de água líquida superficial e temperaturas de superfície habitável até 2 bilhões de anos de sua história, tendo um modelo como a Terra e os oceanos; as nuvens de tempestades poderiam ter protegido o planeta Vênus antigo do alto índice de raios solares e sendo assim tornando-o habitável, segundo com a modelagem feito em computador de um modelo climático do planeta nos primórdios, realizado por cientistas do Instituto Goddard da Nasa para Estudos Espaciais (GISS) em Nova York.

Fonte:
https://www.nasa.gov
http://time.com
https://translate.google.com.br

domingo, 14 de agosto de 2016

Um linda imagem da chuva de meteoro Perseidas...

Imagem capturada no dia 12 de agosto de 2016, durante a periódica anual chuva de meteoro Perseidas, imagem abaixo.


O local de tomada dessa imagem que teve exposição de 30 segundos, foi em Spruce Knob, no estado West Virginia (Virgínia Ocidental ) nos Estados Unidos da América.

Spruce Knob:

É o maior cume do estado da Virgínia Ocidental, ficando apcerca de 1.482 metros (4.863 pés) acima do nível do mar, e sua formação é estimada entre 570 e 500 milhões de anos atrás.

Sua localização fica dentro da  Floresta Nacional de Monongahela e rochas Spruce Knob-Seneca Área de Recreação Nacional (NRA), e é administrado pelo Serviço Florestal dos Estados Unidos.
 
A chuva de meteoro Perseidas:

É o resultado da interação dos detritos de um cometa com a Terra, em que os resíduos (poeira e gelo) do cometa é desprendido de sua órbita, e entram na atmosfera terrestre. Esses detritos vem do cometa 109P/Swift-Tuttle, que faz repetidas passagens com aproximação com Terra, entre os dias 23 julho e 22 agosto, mas seu maior auge acontece nos dia 12 e 13 de agosto.

Recebe esse nome devido seu radiante (local no céu, onde se origina), que está localizado na constelação de Perseus.

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://postagenszm.blogspot.com.br
http://www.fs.usda.gov
https://translate.google.com.br
https://www.google.com.br/maps

sábado, 13 de agosto de 2016

Carl Sagan...(Trecho e frase)

"Devemos querer a verdade, não importa aonde ela nos leve, mas para encontrá-la, precisamos tanto de imaginação quanto de ceticismo. 
Não devemos ter medo de fazer especulações, mas ter o cuidado de distinguir especulações de fatos." Carl Sagan


"Foi dito que a astronomia é uma experiência que traz humildade e constrói o caráter. Talvez, não haja melhor demonstração das tolices e vaidades humanas que essa imagem distante do nosso pequeno mundo. Ela enfatiza nossa responsabilidade de tratarmos melhor uns aos outros, e de preservar e estimar o único lar que nós conhecemos […] o pálido ponto azul." Carl Sagan


"Os ideais são como as estrelas, você não conseguirá tocá-las com suas mãos. Mas como os marinheiros nas águas desertas, elas podem guiá-lo, e, seguindo as estrelas, você chegará ao seu destino." 
Carl Sagan


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Tamanho dos planetas do nosso Sistema Solar...

O planeta Júpiter é o maior de todos, possui um raio acerca de 71.492 km (44.423 milhas), ele é 11 vezes maior que a Terra.

O planeta Saturno, é o segundo maior planeta com uma raio de aproximadamente 60.268 km (37.449 milhas).

Em seguida vem o planeta Urano, com um raio em torno de 51.108 km (31.757 milhas).

E logo em seguida o planeta Netuno, com um raio de aproximadamente 49.538 km (30.781 milhas).

O nosso planeta, tem um raio acerca de 6.378 km (3.963 milhas), é ligeiramente maior que o planeta Vênus, que tem uma raio em torno de 6.051 km (3.759 milhas).

O planeta vermelho Marte, tem um raio por volta de 3.397 km (2.111 milhas).

E o planeta Mercúrio, tem um raio de aproximadamente 2.439 km (1.515 milhas).

Agora o planeta anão Plutão, possui um raio aproximado de apenas 1.1160 km (0,6934 milhas).

O nosso astro rei, o Sol, é acerca de 100 vezes maior que o raio que o nosso planeta possui, tendo aproximadamente um raio de 695 mil km (431.853 milhas). A massa do Sol, retrata mais de 99% da massa de todo o Sistema Solar.


Fonte:
https://en.wikipedia.org
https://plus.google.com
http://postagenszm.blogspot.com.br
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Chuva de meteoros Perseidas...

É um evento anual, que ocorre entre os dias 23 julho e 22 agosto, mas seu maior auge acontece nos dia 12 e 13 de agosto.

A chuva de meteoros Perseidas, acontece porque o nosso planeta, passa pelo rastro do cometa Swift-Tuttle, e os resíduos (poeira e gelo) do cometa é desprendido de sua órbita, entram na atmosfera terrestre em uma velocidade bem alta, e essa velocidade atinge aproximadamente, de 15 a 70 km por segundo, os detritos quando atingem a atmosfera do nosso planeta, entram em combustão, formando os meteoros, que chegam a ser até 60 meteoros/horas em seu auge.

Esse fenômeno é bem mais observável no Hemisfério Norte, devido a constelação de Perseus ser mais aparente no norte. E nos países abaixo do equador, ela não é tão visível quanto no norte, pois ela ocorre muito baixa no horizonte.

Observação da chuva:

O ideal é ir longe da luz que há na cidade, o quanto mais escuro, mais você poderá observá-lo. E procurar olhar para o norte no céu.

Sobre o cometa:

O astrônomo estadunidense Lewis A. Swift, descobriu o cometa no dia 16 de julho de 1862, em  Marathon, Nova Iorque (EUA), e o astrônomo americano Horace Parnell Tuttle, da Universidade de Harvard, também descobriu no dia 19 de julho de 1862. 

O cometa está catalogado como 109P/Swift-Tuttle, e recebeu o nome de seus descobridores.

Esse cometa, é o maior de todos os objetos celestes que fazem repetidas passagens com aproximação com Terra. O seu período de translação ao redor do Sol é acerca de 130 anos.

Em um futuro, o cometa Swift-Tuttle, poderá ser observado a olho nu, em sua passagem pela Terra.

Fonte:
http://postagenszm.blogspot.com.br
http://ssd.jpl.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

Fases da Lua...

As fases lunar, ocorrem conforme a Lua faz a sua jornada em volta da Terra, no período de um mês.

No decurso da jornada ou período orbital da Lua, que tem a duração de 27 dias 7 horas 43 minutos e 12 segundos (mês sideral), ela passa por um intervalo de fases e seu formato aparenta modificar progressivamente.

A face da Lua é iluminada pela luz solar de modos diferentes, ou seja, conforme sua posição em relação ao Sol.

Quando a Lua é observada daqui da Terra, e olhamos a parte que ela está iluminada pelo Sol, sabemos que ela está representando uma fase. São um total de quatro fases, e cada uma delas dura um período acerca de 7 dias.


As quatros fases da Lua;

Lua cheia: acontece quando o Sol ilumina totalmente a parte da Lua observada da Terra.

Lua minguante (letra C ao contrário): essa fase ocorre a perda da luminosidade, quando avistamos a partir da Terra, somente uma face iluminada.

Lua nova: luminosidade limitada, pois sua face observada da Terra, não está sendo iluminada pelo Sol.

Lua crescente: considerada a fase que ela está na transição de fases, passando da fase de Lua nova para a a fase de Lua cheia. A Lua crescente, tem por característica em obter luminosidade somente em uma face, que é o lado oposto da fase minguante.

Fonte:
http://www.uol.com.br
http://fairereparer.com
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Objeto de Mayall...

Fica localizado na constelação de Ursa Maior, em uma distância de aproximadamente 500 milhões de anos-luz.

Chamado de Arp 148, devido ter sido colocado no catálogo de galáxias perpendiculares com a numeração de 148 do Arp.

Arp 148, é uma continuidade de um embate entre duas galáxias, ocasionando uma galáxia em formato de anel e uma companheira de cauda longa.

O choque entre essas duas galáxias, ocasionou uma consequência de onda de choque, que primeiramente acolheu a matéria no interior, e seguidamente fez com que se reproduzisse para fora em um anel.

A companheira alongada perpendicular ao anel, dá a entender que Arp 148, foi formada de imediato em um seguimento da colisão.

Observações com infravermelho, mostram uma área de um forte escurecimento, que se apresenta como uma zona de poeira escura por meio do núcleo em luz óptica.

A imagem logo abaixo, foi capturada pelo Telescópio Espacial Hubble, ela é uma das 59 imagens de galáxias que estavam interagindo.

A imagem foi divulgada no 18º aniversário do Hubble, no dia 24 de abril de 2008.

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Fenômeno em relação as águas da Terra devido ao puxão gravitacional...

Pode parecer uma crença, mas na verdade é real, que a Lua e o Sol tem influência nas marés, ou seja, os movimentos que causam o nível do mar, as subidas e descidas. Mas essa influência só ocorre em grandes massas de águas, que não é o caso dos rios e lagos, só reparar que não há subida e descidas de marés.

Esse fenômeno das subidas e descidas de marés, acontece pela força de atração que a Lua e o Sol, exercem sobre o nosso planeta, mas o nosso astro rei, exerce tal atração em menor intensidade.

Quando o Sol, a Lua e a Terra estão ordenados em ângulo reto, onde a Terra está em um ponto oposto mais afastado, a oscilação das marés é menor; e assim são denominadas as marés mortas. E quando esses três objetos estão alinhados, é notado que duas vezes por mês, as marés sobem.

Como a Lua orbita a Terra, ou seja, gira ao redor do nosso planeta, ela é atraída pela força gravitacional da Terra, a Lua também tem essa força de gravidade em relação a Terra, mas só que de forma mais suave.

E essa atração entre os corpos, recebe o nome de de puxão gravitacional, e isso faz com que as águas dos oceanos, onde se concentra a maior massa de água, seja influenciada pelo posicionamento da Lua e do Sol, a respeito da Terra.

É acreditado por especialistas, que a Lua pode exercer influência também em nós, devido nós possuirmos 70% de água em nosso corpo.

Mito:

- Nascimento de crianças em Lua cheia, não há nada comprovado, mas é acreditado que esse mito venha dos nossos antepassados, pois não havia calendário e como é naturalmente fácil de observar a Lua no céu, eles se baseavam nisso.

- Corte de cabelo, também é um mito, pois o crescimento do cabelo, assim como queda, ou até mesmo ausência e ou crescimento dos pelos no corpo, está tudo ligado aos hormônios.

Então, acreditado cientificamente mesmo, a influência exercida na Terra, é apenas pelo nosso astro rei, apesar de ser em menor quantidade, e pelo nosso satélite natural, a Lua, que causa as subidas e decidas das marés.

Fonte:
http://www.if.ufrgs.br
http://noticias.uol.com.br

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Um satélite natural chamado Ariel ...

Ariel é uma das luas do planeta Urano, no dia 02 de junho de 2000, a Nasa divulgou uma imagem (logo abaixo) desse satélite natural, capturada pela sonda espacial Voyager 2 da Nasa, no dia 24 de janeiro de 1986.

Esta lua, possui aproximadamente 1.300 km (800 milhas) de diâmetro, possui em sua superfície diversas cicatrizes e impactos (crateras), e também possui fendas que se prolongam por toda superfície, com aspectos que evidenciam que houve atividades tectônicas.

A  Voyager 2, capturou a imagem quando fez a maior aproximação em uma distância de 130.000 km (80.000 milhas).


O planeta Urano, é o sétimo planeta a partir do Sol, sendo o terceiro maior planeta no nosso Sistema Solar. Ele foi descoberto pelo astrônomo William Herschel, no ano de 1781.

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

domingo, 7 de agosto de 2016

Curiosidade sobre antiga ideia a respeito de uma civilização em Marte...

O astrônomo e matemático norte-americano Percival Lowell, defendia a ideia do astrônomo Giovanni Schiaparelli, que no ano de 1877, desenhou um mapa do planeta vermelho com um entrecruzamento de canais, que ele denominou de "canalis", que significa  "leitos de rio" ou "sulcos", sobre a superfície do planeta Marte, onde ele veio com esse conceito de que em Marte, tinham canais e eram de irrigação e utilizados por uma civilização marciana.


Percival Lowell, tornou essa teoria popular, pois acreditava que uma civilização inteligente habitava o planeta Marte, e ele também fez um desenho sobre esses canais, e defendia a concepção de Schiaparelli, de que esses canais, eram um modo de irrigação, onde eram usados para levar água dos pólos para todo o planeta e serem utilizados pelos habitantes parra irrigar o planeta que estava morrendo.


Mas essa concepção que encantou muitos, veio por água abaixo, quando a sonda Mariner 4 da Nasa. no ano de 1965, capturou as primeiras imagens do planeta vermelho e mostrou que na real, a superfície de Marte era um terreno árido, desprovido de umidade e que havia cicatrizes de impactos (cratera), semelhantes com que existe na Lua.

Fonte:
http://www.bbc.co.uk
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

sábado, 6 de agosto de 2016

Olimpíada 2016... (frase)

Abertura do jogos olímpicos no Rio de Janeiro - Brasil, no dia 07 de agosto de 2016.     

Frases dos discursos dos dirigentes:

"Estou falando para o mundo todo. Nós damos a vocês as boas-vindas à cidade dos Jogos Olímpicos. Quero agradecer ao público, aos voluntários e a todos. O melhor lugar do mundo é aqui e agora: Rio, Brasil. O Brasil recebe a todos do mundo de braços abertos". 
Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Organizador Rio-2016 e do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

"Estamos vivendo em um mundo em crise. Essa é nossa resposta olímpica. Os melhores atletas do mundo vivendo em paz e competindo. Compartilhando refeições e emoções", e continuou... "Nesse mundo olímpico somos todos iguais. Respeitem vocês. Respeitem os outros. Isso faz os Jogos Olímpicos algo único".
Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

                                          Sejam bem-vindos ao Brasil!!! 

                                                         Welcome to Brazil!!!

                                                         Bienvenue au Brésil !!!

                                                  Καλώς ήρθατε στην Βραζιλία !!!

Fonte:
http://blogs.oglobo.globo.com
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Meteorito marciano...

Você sabia que no ano de 1996, o meteorito denominado ALH84001, foi anunciado pelo Dr. Everett Gibson, do Johnson Space Center da Nasa, em  Houston, no Texas (EUA) e seus colegas, que o meteorito marciano, que foi encontrado no ano de 1984 na Antártida por pesquisadores, e nele havia incrustado minúsculos fósseis, ou seja, fósseis de microrganismos marcianos cravados no meteorito.

Foi acreditado que esse meteorito poderia ser a evidência de vida passada no planeta vermelho, não necessariamente como conhecemos na nossa evolução, mas esses fósseis de microrganismos, leva a ser pensado que não estamos sós no universo.

Esse meteorito marciano, com idade aproximada de 3.6 bilhões de anos, possivelmente começou a divagar pelo espaço, após um grande impacto no planeta vermelho, em um período acerca de 5 milhões de anos, até vir cair aqui no nosso planeta.

Mas após ter passado uma semana ao anúncio dos pequeninos fósseis marcianos, especialistas anunciaram que o meteorito sofreu um a transformação na Terra, melhor dizendo, houve uma influência de contaminação terrestre, ou seja, não eram microrganismos marcianos, e sim microrganismos do nosso planeta mesmo.

Até nos dias atuais, ainda há discussão a esse respeito.

Houve até um trabalho científico a respeito do ALH84001, se você tiver interesse, acesse o link:
http://www.lpi.usra.edu/lpi/meteorites/alhnpap.html

Fonte:
http://www.bbc.co.uk
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Estudo de Ceres e sua estrutura interna...

Através de pequenas alterações de movimentos da sonda espacial Dawn, na órbita predominante do planeta anão Ceres, especialistas podem mapear as variações na gravidade de Ceres.

E pela primeira vez, um estudo foi publicado na revista Nature, e com isso foi fornecido indicações sobre a estrutura interna do planeta anão.

Ryan Park, o principal autor do estudo, disse " Os novos dados sugerem que a Ceres tem um interior fraco, e que os materiais leves de água e outros parcialmente separada da rocha durante uma fase de aquecimento no início de sua história".

O campo de gravidade de Ceres, é medido através de monitorização de sinais de rádio, que é mandado para a sonda Dawn e enviado à Terra sendo receptado pela rede de antenas internacionais, que tem a finalidade de executar comunicações e monitoramento com as diversas naves espaciais no espaço (Deep Space Network da Nasa - DSN).

Com esses sinais recebidos os pesquisadores conseguem medir a velocidade da nave espacial com uma precisão de 0,1 milímetros (0,004 polegadas) por segundo, e logo após, é avaliado os pormenores do campo de gravidade.

Nesse estudo recente, foi confirmando que o interior de Ceres é  fraco o suficiente para que a sua forma é regulada pela forma como ele gira. Isso foi concluído pelos pesquisadores, na comparação feita entre a sua forma e o campo de gravidade. Resumindo, Ceres possui a propriedade de equilíbrio hidrostático. E foi pro esse motivo que os astrônomos classificaram Ceres, como um planeta anão no ano de 2006.

As informações mostram que o planeta anão é "diferenciado",  na composição de suas camadas diversas em variadas profundidades, com a camada mais espessa no núcleo. Também foi descoberto pelos pesquisadores, apesar de já suspeitarem, é que Ceres, é muito menos denso do o nosso planeta, a Lua,  Vesta (missão anterior da sonda Dawn) e outros corpos rochosos do nosso Sistema Solar.

Já era suspeitado por um certo tempo que Ceres possui materiais de baixa densidade, assim como, o gelo da água se separou do material rochoso e subiu para a camada exterior, juntamente com outros materiais leves; isto foi revelado no estudo.

"Descobrimos que as divisões entre diferentes camadas são menos acentuadas dentro Ceres do que a Lua e outros planetas do nosso Sistema Solar" falou Ryan Park, e continuou..."Terra, com seu núcleo metálico, manto semi-fluido e crosta externa, tem uma estrutura mais claramente definidas do que Ceres".

Também foi descoberto que locais de alta elevação no planeta anão, se deslocam em massa no interior, isto quer dizer que se assemelha a quantidade de água deslocada por uma embarcação, vai depender da massa do navio. e assim os pesquisadores concluíram que o manto fraco de Ceres, pode ser deixado de lado pela massa de montanhas e outras camada no alto relevo mais externo, como as áreas de alta elevação "flutuam" sobre o material que está a baixo. Este fenômeno tem sido percebido em outros planetas, incluindo a Terra, mas este estudo é o primeiro a confirmar no planeta anão Ceres.

Com fato do novo estudo da gravidade, fazem que os pesquisadores aprendam que  processos internos, poderiam ter ocorridos durante o início da história de Ceres.

Ao estabelecer estes novos dados, com registros anteriores da sonda espacial Dawn, a respeito da composição da superfície do planeta anão, eles podem reconstruir essa história.

"Sabemos por estudos anteriores da sonda Dawn, que deve ter havido interações entre água e rocha dentro Ceres", disse Carol Raymond, co-autora do estudo, e continuou..."Isso, combinado com a nova estrutura de densidade, nos diz que Ceres experimentou uma história térmica complexa".


Autores do estudo.

- Ryan Park, supervisor do grupo dinâmica do Sistema Solar, no Jet Propulsion Laboratory da Nasa em Pasadena, Califórnia (EUA).
- Carol Raymond, vice-investigadora principal da Dawn, com base no Jet Propulsion Laboratory (JPL), em Pasadena, Califórnia (EUA).

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Nebulosa Olho de Gato...

É uma nebulosa planetária clássica e fica localizada na constelação do Dragão (hemisfério celestial norte próxima do polo celeste norte).

A Nebulosa Olho de Gato ou NGC 6543, fica aproximadamente 3.000 anos-luz de distância do nosso planeta, e seu  tamanho é de aproximadamente meio ano-luz de diâmetro para mais.

Ela é uma das mais conhecidas e complexas nebulosas planetárias, que está na fase final de sua vida; e por ser tão complexa, que é pensado pelos pesquisadores que o brilho do objeto central pode ser na verdade um sistema estelar binário.

A expressão nebulosa planetária, utilizada para referir a uma variedade de objetos, pode ser enganador. Entretanto observando por um telescópio de pequeno porte, podem aparentar redondas como os planetas, mas em imagens de alta resolução, mostram que são estrelas circundadas por casulos de gás expelidos nos estágios finais da evolução estelar.

A imagem abaixo, foi capturada pelo Telescópio Espacial Hubble, e mostra a nebulosa Olho de Gato, e com isso podemos pensar no nosso Sol, que em aproximadamente 5 milhões de anos, terá o mesmo destino.

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Nuvens noctilucentes...

Também conhecidas como nuvens mesosféricas polares, é um raro fenômeno meteorológico, seu nome vem do latim, noctis que significa noite ou treva e lucens que significa brilhante, e com isso fica noite luminosa ou noite que brilha.

O primeiro registro dessas nuvens, ocorreu por volta no ano de 1885.

Essas nuvens aparecem nas regiões polares, em alturas que variam entre 65 e 86 km acima da superfície da Terra, no limite da camada atmosférica denominada mesosfera.

Elas são formadas por minúsculos cristais de gelo, e são muito suaves para serem visualizadas.
O que fazem essas nuvens serem observadas, são os minúsculos cristais de gelo, que são refletidos com a luz solar, mas somente quando o Sol estiver abaixo da linha do horizonte, ao anoitecer que elas são iluminadas com os raios solares que as refletem no chão. E por esse motivo, essas nuvens foram batizadas com esse nome, nuvens noctilucentes

A imagem abaixo, foi capturada a meia-noite de verão na Suécia

Fonte:
http://apod.nasa.gov
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Você conhece o "super humano" Graham?...

A  Comissão de Acidentes no Transporte (TAC, sigla em inglês) do governo do estado de Vitória, na Austrália, encomendou aum grupo seleto de profissionais, que criassem uma estrutura de "super-humano" que possa sobreviver sem grandes lesões a um acidente de carro.

E de acordo com seus inventores, Graham foi feito, com um o corpo bem projetado, ou seja, corpo perfeito para enfrentar uma grande colisão.

Para que Graham fosse inventado, precisou de uma artista plástica, um cirurgião especializado em traumatismos e acidentes e um especialista em investigações de acidentes de trânsito.

Devido a evolução automobilística, onde os carros estão cada vez mais ganhando velocidade, um acidente entre dois carros, pode haver um resultado de grande danos ao ser humano, mas Graham, foi projetado exatamente para isso, para aguentar um impacto ou colisão.

Graham, lembra uma antiga  máquina de guerra com que se arrombavam portas e derrubavam muralhas, pois suas características são: cabeça similar a uma rocha, o pescoço unido com a cabeça e dá a impressão que se fundiu ao tronco, pés fortes que lembram raízes de árvores e o peito enrugado e inflamável, que atua como um dispositivo de airbag e suas costelas fortificadas.

Esse "super humanos", foi criado com silicone, fibra de vidro, resina e cabelo humano

O que foi mais pensado, foi a parte da cabeça e pescoço, pois na hora da colisão tem efeito muito grande de um vai e vem (para frente e para atrás), e pode causar danos irreparáveis.

Então Graham, foi projetado como um material educacional muito importante, para ter serventia a comunidade por longo tempo, para ser sempre lembrado de que deva ter um desenvolvimento de sistema de trânsito mais seguro.

Se você tiver interesse em ouvir os especialistas envolvidos nesse projeto, acesse o link:
http://www.meetgraham.com.au/

Fonte:
http://www.meetgraham.com.au
http://www.msn.com
https://www.youtube.com