segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

De volta ao lar, após a missão de um ano...

No dia 21 de janeiro de 2016, o astronauta americano Scott Kelly, da Nasa, e o cosmonauta russo Mikhail Kornienko, da Roscosmos, completaram 300º dia, a bordo da Estação Espacial Internacional (EEI), com a missão de um ano no espaço.

O período dos astronautas Scott Kelly e Mikhail Kornienko na EEI, somaram um total de 340 dias ininterruptos.

No dia 1 de março de 2016, Kelly, Kornienko e também o cosmonauta russo Sergey Volkov, da Roscosmos, irão desembarcar da cápsula Soyuz, no Cazaquistão às 8h27' (horário de Brasília).

Esses dias que Kelly e Kornienko, ficaram a bordo na EEI, foram de grande importância para avaliações médicas na psicofisiologia, devido futuras missões, que  os astronautas necessitam passar longos períodos no espaço, por exemplo, uma jornada para o planeta Marte.

Foram colhidas amostras de materiais biológicos, e as avaliações as médicas, foram realizadas, em todo o tempo que eles tiveram na EEI, e o acompanhamento médico, vai se prolongar por um ano ou mais após o regresso à Terra, para uma comparação e conclusão, de como o ser humano reage a um longo período no espaço.

O astronauta Scott Kelly, será comparado geneticamente com seu irmão gêmeo Mark Kelly.

A televisão da Nasa, irá fazer a cobertura completa que começará às 3:10 pm, nesta segunda feira (29/02/2016), quando o astronauta Scott Kelly, passará o comando da EEI, para o astronauta americano Tim Kopra, da Nasa.

Link: http://www.nasa.gov/multimedia/nasatv/index.html

Programação:
- 3h10' pm: cerimônia de troca de comando da estação,
- 4h15' pm: despedida e fechamento da escotilha,
- 7h45' pm: cobertura do desencaixe,
- 10h15' pm: saída de órbita,
- 10h34' pm: começa queimar,
- 11h27' pm: pouso  (10h27' no dia 2 de Março de 2016, no tempo do Cazaquistão).

A Estação Espacial Internacional, depois da saída do astronauta Scott Kelly e dos cosmonautas Mikhail Kornienko e Sergey Volkov; começará oficialmente a Expedição 47, com o astronauta americano Tim Kopra (comandante), da Nasa, o cosmonauta russo Yuri Malenchenko, da Roscosmos e o astronauta britânico Tim Peake, da Agência Espacial Européia (ESA). Após duas semanas, está programado a chegada de mais três integrantes desta expedição: o astronauta americano Jeff Williams da Nasa, e cosmonautas russos Alexey Ovchinin e Oleg Skripochka, da Roscosmos. Eles serão lançados a partir de Baikonur, no Cazaquistão, no dia 18 de Março de 2016.



Scott Kelly, após desembarcar na Terra, será o astronauta que mais acumulou tempo no espaço, entre todos os astronautas americanos, ele é o recordista, com 520 dias!

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Programa ExoMars...

É um programa com duas missões, da Agência Espacial Européia (ESA), com cooperação da Agência Espacial Russa (Roscosmos), que irá fornecer um lançador Proton para ambas as missões

O ExoMars, é constituído por duas missões em anos diferentes:

- No ano de 2016, o Trace Gas Orbiter (TGO) e o Demonstrator Module (EDM) - Schiaparelli :
O Orbiter levará instrumentos científicos para detectar e estudar gases atmosféricos, como o metano. EDM vai conter sensores para avaliar o desempenho da sonda à medida que desce, e sensores adicionais para estudar o ambiente no local de destino.

- No ano de 2018, um rover e uma plataforma científica de superfície:
A missão inclui uma sonda que vai levar uma broca e um conjunto de instrumentos aplicados a exobiologia (estudo das origens, evolução, distribuição e futuro da vida em um contexto cósmico) e pesquisa geoquímica (ciência geológica que envolve o estudo da composição química da Terra e de outros planetas, processos químicos e reações que gerem a composição de rochas, solos, grandes acumulações de água, tais como oceanos, mares e lagos, e dos ciclos de matéria e energia que transportam os componentes químicos da Terra e de outros planetas, pelo tempo e espaço).

Ao mesmo tempo, algumas investigações científicas importantes serão realizadas:
- Procurar sinais de vida passada e presente em Marte.
- Investigar como a água e o ambiente geoquímico se conciliam.
- Investigar gases atmosféricos de Marte e suas origens.

Através deste programa, além de investigar o ambiente em Marte, também terá a demonstração de tecnologias  necessárias de voo e no local, e desta forma ajudará futuras missões de explorações, e uma delas é o retorno do planeta vermelho com amostras na década de 2020.

Fonte:
http://exploration.esa.int
http://www.esa.int
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Estrelas Wolf-Rayet...

Recentemente o Telescópio Espacial Hubble da Nasa/ESA, fez uma captura de imagem, da estrela conhecida por WR 31a, que se encontra em uma distância de aproximadamente 30.000 anos-luz, na constelação de Carina (a Quilha, é uma constelação do hemisfério celestial sul).


A bolha azul que parece na imagem envolvendo a estrela Wolf-Rayet, é uma nebulosa, ou seja, uma nuvem interestelar de poeira, hidrogênio, hélio e outros gases; que por sua vez, foi gerada quando os ventos estelares interagiram rapidamente com as camadas exteriores de hidrogênio expelido pela estrela WR 31a.

Segundo a Nasa, as estrelas Wolf-Rayet são estrela evoluídas e muito massivas, que possuem mais de 20 massas solares, porém, perdem suas massas rapidamente por intermédio dos fortes ventos solares, que chegam a alcançar uma velocidade superior a 2.000 km/s.

Este tipo de nebulosa, normalmente tem formato esférico ou de anel; e neste caso, é estimado que a bolha, tenha se formado por volta de 20.000 anos atrás, e se expandido em um crescimento de aproximadamente 220.000 km/h (136,700 mi/h).

O ciclo de vida da Wolf-Rayet, é somente de algumas centenas de milhares anos, muito rápido em termos cósmicos. Ainda que começa a vida com uma massa de pelo menos 20 vezes maior do que o Sol, as estrelas Wolf-Rayet, normalmente perdem metade da sua massa em menos de 100.000 anos. E WR 31a , neste caso não se diferencia.


Possivelmente, quando o ciclo da estrela WR 31a, chegar ao seu final, será como uma supernova, e seu material expelido pela explosão, irá alimentar uma nova geração de estrelas e planetas.

Aproximadamente 150 estrelas Wolf-Rayets, são conhecidas em nossa galáxia,  na Via Láctea, cerca de 100 estrelas, são conhecidas na Grande Nuvem de Magalhães, enquanto apenas 12 foram identificadas na Pequena Nuvem de Magalhães. 

As Estrelas Wolf-Rayet, foram descobertas pelos astrônomos franceses Charles Wolf e Georges Rayet, utilizando espectroscopia visual no Observatório de Paris.

O nome das estrelas Wolf-Rayet, é em homenagem aos seus descobridores, Charles Wolf e Georges Rayet.

A Nasa divulgou essa imagem capturada pelo Telescópio Espacial Hubble, no dia 26 de fevereiro de 2016.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://pt.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Objetos próximos da Terra...

A sigla NEO, no inglês significa Near-Earth Object, sua tradução para o português significa Objetos Próximos da Terra.

Os corpos celestes como asteroide, meteoros e cometas, que estão cruzando a órbita do nosso planeta, podem vir a ser um perigo para as naves espaciais e também podem colidir com a Terra, causando grandes transtornos e sérias complicações para as vidas terrenas, e chegando até ao extermínio da vida.

Então, para um corpo celeste ser considerado um NEO, ele tem que estar em uma distância inferior ao Sol, em aproximadamente 1,3 vezes a distância do nosso planeta com o Sol.

A Nasa tem um novo programa que foi formalizado como Planetary Defense Officer (Escritório de Defesa Planetária, em português), este programa visa detectar e rastrear objetos próximos da Terra.

São detectados NEOs de todos os tamanhos, e desde 1998, mais de 13.500 objetos foram descobertos próximos a Terra, e a cada ano, aproximadamente 1.500 NEOs são detectados.

Lindley Johnson, executivo do antigo programa NEO e executivo do novo programa, disse "A criação formal do Escritório de Coordenação de Defesa Planetária, torna evidente que a agência está empenhada em realizar um papel de liderança nos esforços nacionais e internacionais para a detecção destes perigos de impactos naturais, e de estar envolvido no planejamento, se existir uma necessidade de defesa planetária".

Além de detectar e rastrear objetos potencialmente perigosos, o escritório vai emitir avisos rápidos e avisos de qualquer que seja o potencial de impacto detectado, com base em dados científicos de credibilidade.

Fonte:
http://www.jpl.nasa.gov
https://pt.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Teoria Nebular...

De acordo com esta teoria, o Sistema Solar, foi gerado a partir de uma nebulosa (uma enorme nuvem de gás e poeira), em aproximadamente 4,6 bilhões de anos.

Apresentada pelo filósofo alemão Immanuel Kant (1755) e produzida pelo matemático francês Pierre-Simon Laplace (1796).

A nebulosa se encolhe pelo fato da influência da força de atração gravitacional e sua velocidade rotacional torna-se mais intensa, girando sobre si mesma, e no decorrer desse fato, aconteceu o achatamento em forma de disco, e isso fez com que entrasse em colapso gerando uma energia luminosa, onde se deu a origem ao proto-sol, em constantes instantes sequentes, matérias do disco são expelidas e condensam, originando os proto-planetas e proto-satélites.

- Na nebulosa, cerca de 99,9% da matéria em concentração central, deu origem ao Sol.

- Os planetas e satélites, teriam suas origens, a partir da matéria do disco.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org
http://www.if.ufrgs.br
https://www.google.com.br

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Londres a meia noite, a partir da EEI...

No dia 02 de fevereiro de 2016, as 4h58 pm, o astronauta Tim Peake, da Agência Espacial Européia (ESA), que está abordo da Estação Espacial Internacional (EEI), capturou uma imagem da cidade de Londres, que é a capital da Inglaterra e do Reino Unido, em aproximadamente 400 km (248 milhas) acima da Terra.

Nesta ocasião, era meia noite em Londres, e devido as horas serem executadas na EEI, em Greenwich Mean Time (Hora Média de Greenwich ou Hora de Greenwich - marcador oficial de tempo), para o astronauta, tudo foi no mesmo tempo.

Tim Peake, fez essa tomada de imagem, na cúpula, que é um módulo observatório, construído pela ESA, na Estação Espacial Internacional.


Pelo fato da EEI voar a 28.800 km/h, e passar por pontos específicos na Terra rapidamente, fazendo seu rumo ao longo de cada órbita em 90 minutos, e também pelo fato da ausência de nuvens, fez desta imagem capturada, uma raridade. O astronauta configurou sua câmera antes, pois sabia se perdesse esta oportunidade, com certeza, seria bem difícil ter outra chance como esta, no período de seis meses que ele irá ficar a bordo Estação Espacial.

A imagem:

As luzes observadas na imagem, são de LED, principalmente das ruas de Londres. As luzes que podem ser vistas de azul, são áreas iluminadas com LED. Os parques e rios (rio Tamisa), são destacados pelo preto na imagem, devido não serem áreas iluminadas. Hyde Park, Regent Park e Battersea Park, podem ser reconhecidos no centro da imagem, os reservatórios em Walthamstow estão na parte superior central da imagem e Richmond Park, está no canto inferior esquerdo da imagem.

Fonte:
http://www.esa.int
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Cientistas e equação... (frase)

"Cientistas de hoje substituíram a matemática por experiências, e eles afastam-se, equação depois de cada equação, e eventualmente constroem uma estrutura que não tem nenhuma relação com a realidade". (Nikola Tesla)


Nikola Tesla (1856 - 1943), foi um inventor nos campos da engenharia mecânica e eletrotécnica, de etnia sérvia, nascido na aldeia de Smiljan, em Vojna Krajina, no território da atual Croácia.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Magnetismo solar...

O Sol, é uma gigante estrela magnética, feita de material que se move em conjunto com as leis do electromagnetismo (resumidamente: Cargas elétricas em movimento geram campo magnético; variação de fluxo magnético produz campo elétrico).

A nossa estrela principal, é formada de plasma, que é um estado de gás ionizado da matéria no qual os elétrons e íons,estão separados, gerando um mesclado de partículas super-quente e carregadas. Quando as partículas carregadas se movem intensamente, elas espontaneamente criam campos magnéticos, que no entanto, tem um efeito complementar sobre o movimento das partículas.

O campo magnético do Sol, só pode ser observado por comprimentos de onda, pois é invisível aos nossos olhos; ele é o responsável por tudo, a partir das explosões solares, que acarretam um clima espacial na Terra, como nas auroras, no campo magnético interplanetário (carregado pelo vento solar ao longo do Sistema Solar) e radiação através do qual as naves espaciais viajando ao redor do Sistema Solar devem viajar.

Já o plasma no Sol, é definido como um complicado sistema de causa e efeito, na qual esse plasma que é emanado dentro dele, se agita pelo imenso calor gerado pela fusão nuclear no centro do nosso astro rei, dessa forma, são criados os campos magnéticos, que é um sistema conhecido como o dínamo solar.

Pode-se observar a forma dos campos magnéticos acima da superfície do Sol, porque eles orientam o movimento do plasma.

Dean Pesnell, cientista espacial da Nasa, do Goddard Space Flight Center em Greenbelt, em Maryland (EUA), disse "Nós não temos certeza exatamente onde no Sol, o campo magnético é criado".

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://pt.wikipedia.org
http://postagenszm.blogspot.com.br
https://translate.google.com.br

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Hoje a noite acerte o seu relógio...

Os relógios devem ser atrasados em uma hora, das 00h00 para às 23h00, pois termina o horário de verão no Brasil!!!


Ler no Blog ZM., a repeito do horário de verão, no Link:
http://postagenszm.blogspot.com.br/2015/10/horario-de-verao.html

O ano e suas estações...

As estações do ano acontecem devido a inclinação do eixo de rotação da Terra em relação ao Sol.

O movimento do planeta Terra em torno do Sol dura um ano, e recebe o nome de translação; sua principal consequência é a mudança de estações do ano, primavera, verão, outono e inverno.

Quando a Terra está inclinada, expondo mais a parte do sul, temos o verão,  e ao contrário, quando o norte está mais exposto, devido essa inclinação, temos verão no norte, e inverno aqui nos sul.

Hemisfério Norte:
- dia 21 de dezembro: início do Inverno
- dia 21 de março: início da Primavera
- dia 21 de junho: início do Verão
- dia 23 de setembro: início do Outono

Hemisfério Sul:
- dia 21 de dezembro: início do Verão
- dia 21 de março: início do Outono
- dia 21 de junho: início do Inverno
- dia 21 de setembro: início da Primavera

Antigamente o ano possuía somente duas estações, sendo dividida em Veris, que significa o bom tempo: a estação da flores e dos frutos; e hiems ou hibernus tempus, que significa o mau tempo: a estação do frio.

A partir do século XVII, as quatro estações, foram adaptadas e assim ao redor do mundo todo, começaram a ser aceitas.

A origem dos nomes, são derivados do latim:

-  Primavera: primo vere, que significa o princípio da boa estação.
- Verão: veranum tempus, que significa o tempo da frutificação.
- Outono: tempus autumnus, que significada a queda da temperatura gradual.
- Inverno: tempus hibernus, que significa o tempo de hibernar.

Na mitologia:

Deméter (deusa-mãe) era a deusa da agricultura, e de toda a terra cultivada. Senhora dos cereais; os romanos a chamavam de Ceres.

A união entre Deméter e  Zeus (pai dos deuses e dos homens), gerou uma filha,  que recebeu o nome de Perséfone, a deusa das ervas, flores, frutos e perfumes (Prosérpina, para os romanos).

Perséfone, era filha única, que cresceu, linda e feliz, rodeada por ninfas e de  suas duas meias‑irmãs, as deusas Ártemis (deusa virgem, ligada à vida selvagem e a caça) e Atena (deusa da sabedoria e das artes).

Hades, o deus do mundo inferior e dos mortos (inferno),  era irmão de Zeus e sendo assim, tio de Perséfone, que se apaixonou loucamente por ela.

Um dia, quando a jovem Perséfone, passeava pelos lindos campos floridos, ao colher uma flor, o chão se abriu e inesperadamente, Hades surgiu e a raptou, levando a linda Perséfone, em seu poder, para o reino do mundo inferior, onde a tomou por sua esposa.

A deusa Deméter ouviu os gritos de angustia de sua filha, e correu para ajudá-la, mas nada pôde fazer, pois não sabia quem a levou e nem para onde.

Desesperada, começou a percorrer o mundo de um lado a outro, a procura de sua  filha, sem comer nem beber, sem se preocupar com sua aparência, e sem cuidar de suas tarefas.

Assim, chamou a atenção do Sol, que tudo vê; ele mostrou quem foi o raptor da filha. Revoltada, a deusa Deméter, tomou a decisão de não voltar ao Olimpo (morada dos deuses), e renunciou aos seus afazeres divinos, até que a filha Perséfone, lhe fosse devolvida.

Dessa forma, os homem começaram a passar fome, pois todos os cultivos secaram e a terra ficava cada vez mais improdutiva, e essa devastação foi pelo fato da deusa Deméter, abandonar seus afazeres. Então o deus Zeus, observando toda essa devastação, deu a ordem a Hades, que devolvesse Perséfone.

Porém, a linda deusa Perséfone, que estava com fome e persuadida por Hades, comeu uma romã, sendo assim, a deusa, ficou ligada ao reino do seu marido, no mundo inferior.

Com esse fato, a linda Perséfone, não poderia voltar a ficar de vez no Olimpo; sendo assim, Zeus teve que entrar em um acordo com Hades, e ficou estabelecido que ela ficaria metade de um anos com sua mãe no Olimpo, e a outra metade com seu marido no mundo inferior.

Então, quando Perséfone, está junto de sua mãe Deméter, reina a felicidade, e a natureza se cobre de flores e frutos; é o período da primavera e do verão.

Mas, quando Perséfone tem que voltar para seu marido no mundo inferior, sua mãe se enche de tristeza, então vem o outono e o inverno; onde a natureza fica gélida e devastada.

Segundo a mitologia grega, o período das quatros estações, vem desse ocorrido entre os seus deuses.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org
http://websmed.portoalegre.rs.gov.br
http://www.uol.com.br
http://postagenszm.blogspot.com.br

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Moradia de um gigantesco buraco negro...

A galáxia NGC 4889, que está localizada aproximadamente a mais de 300 milhões de anos-luz de distância da Terra, é a moradia de um dos buracos negros mais massivos e já avistados.

Observe na imagem logo abaixo, a galáxia mais brilhante é a residência deste gigantesco buraco negro, que tem a massa 21 vezes a massa do nosso Astro rei, o Sol.

Para se ter uma ideia, é acreditado que a massa do buraco negro da nossa galáxia, é somente 4 milhões de vezes a massa do Sol.

É pensado pelos astrônomos, que o buraco negro gigantesco, parou de se alimentar e hoje em dia, está descansando após um excesso de satisfação em sua moradia na galáxia NGC 4889 .

O ambiente dentro da galáxia atualmente é calmo, as estrelas estão se formando a partir das sobras de seus gáses que orbitam ao redor do impassível buraco negro.

A imagem foi capturada pelo Telescópio Espacial Hubble, e divulgada na semana passada.


A galáxia elíptica NGC 4889, é a que está na frente de centenas de galáxias de fundo.

Oculto aos olhos humanos, o buraco negro, é supermassivo e gigantesco no centro da galáxia.

Fonte:
http://time.com
https://www.spacetelescope.org
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Conheça W5 - região de formação de estrelas...

Fios de estrelas geram uma região denominada W5, que está localizada aproximadamente  6.500 anos-luz de distância do nosso planeta, rumo a constelação de Cassiopeia. É uma imensa região de formação de estrelas.

Na imagem abaixo em infravermelho, que foi capturada pelo Telescópio Espacial Spitzer da Nasa, você pode observar:

- as estrelas mais antigas, estão como pontos azuis nos centros das duas cavidades ocas  (outros pontos azuis que estão de fundo e em primeiro plano de estrela, não estão associados com a região).

- os pontos cor-de-rosa,  próximos das bordas das cavidades são as estrelas mais jovens.

- as áreas brancas, são mais complicadas, pois são regiões onde as estrelas mais jovens estão se formando.

- poeira aquecida que penetra dentro das cavidades da região, é reproduzida pela cor vermelha.

- as espessas nuvens estelares, são reproduzida na cor verde.

Fonte:
http://www.nasa.gov
http://www.astropt.org
https://translate.google.com.br

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Interação de galáxias, faz formato de uma rosa...

No Space Telescope Science Institute, que é o centro científico de operações do Telescópio Espacial Hubble, astrônomos capturaram com o Telescópio, duas galáxias espirais que estão se interagindo, é conhecido como Arp 273.

Arp 273, está localizado aproximadamente 300 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Andrômeda, e foi relatado pela primeira vez no Atlas de Galáxias Peculiares, registrado pelo astrônomo americano  Halton Arp, no ano de 1966.

A atração gravitacional entre estas duas galáxias gerou suas distorções físicas, e sendo assim, elas lembram uma rosa.

O braço que está mais no exterior da espiral maior, dá a impressão de ter sido esticado para um grande anel ao redor da galáxia. O anel em volta desta galáxia é fora do núcleo, porém isto indica que a galáxia menor se lançou através da galáxia maior, mas seu lançamento suicida não foi um impulso direto.

Essa união, aparenta ter também derrubado os braços internos da grande galáxia em relação ao resto, no entanto a galáxia menor passou a ser um pouco alongada, com duas caudas estendidas, uma em cada terminação.

A interação entre as galáxias, provavelmente estimulou uma explosão de estrelas bebês:

 - Na galáxia maior, uma abundância de novos nascimentos de estrelas, e há pouco tempo entrou em erupção por toda extensão dos braços espirais exteriores, onde o aglomerados de jovens estrelas azuis, são intensamente brilhantes e quentes. 

- Na galáxia menor, a formação de estrelas, aparenta concentrar-se no seu núcleo brilhante.

Assim como as galáxias de Arp 273, a maior parte das galáxias não vivem em isolamento, e a interação entre elas, é muito importante para a continuação do desenvolvimento.

Com as observações que os astrônomos fazem das galáxias no processo em que as forças gravitacionais são exercidas entre elas, ajudam em um melhor entendimento no desenvolvimento das galáxias e também um entendimento sobre a evolução do universo.

A captura de imagem destas galáxias, aconteceu no mês de abril do ano de 2011, quando foi comemorado o 21º aniversário do Hubble. 


Esta imagem Hubble, é um composto dos registros obtidos com três filtros separados sobre WFC3 que concede uma vasta gama de comprimentos de onda que cobrem o ultravioleta, as porções do azul e do vermelho do espectro.

Fonte:
http://www.nasa.gov
http://hubble25th.org
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

A Batalha do Apocalipse - Da queda dos anjos ao crepúsculo do mundo... (trecho)


Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o paraíso celeste foi palco de um terrível levante. Armados com espadas místicas e coragem divina, querubins leais a Yahweh travaram uma sangrenta batalha contra o arcanjo Miguel e os anjos que o seguiam.

Deus, o Senhor Supremo de Todas as Coisas, continuava imerso no profundo sono que caíra após ter concluído o trabalho da criação; o descanso do sétimo dia. Enquanto ele permanecia ausente, os arcanjos ditavam as ordens, impondo seus desígnios no céu e na terra. Sentados no topo de seus tronos de luz, cada um deles almejava alcançar a divindade.

Concentrando todo o poder debaixo de suas asas, os poderosos arcanjos, onipotentes e intocáveis, utilizavam a palavra de Deus para justificar sua própria vontade. Revoltados com o amor do Criador para com os seres humanos e movidos por um ciúme intenso, decidiram ir contra as leis do Altíssimo e destruir todo homem que caminhasse sobre a terra, acabando assim com parte da criação do Divino.

Impulsionado por essa fúria, Miguel, o Príncipe dos Anjos, enviou à Haled diversas calamidades, mas, como insetos persistentes, os mortais resistiram. Os tiranos alados desejavam um regresso à aurora dos tempos, quando só os animais povoavam o mundo. Eles nunca aceitariam venerar uma criatura feita do barro, uma vez que tinham sido gerados a partir do próprio esplendor e glória do Senhor.

Decidido a eliminar de vez a humanidade, Miguel ordenou que os ishins, a casta angélica que controla as forças da natureza, arquitetassem a destruição final. Submissos, eles derreteram as calotas polares e a terra foi inundada por um volumoso dilúvio. Não obstante, os mortais novamente subsistiram.

Diante de tanta morte e devastação, uma conjuração teve início. Em sua inocência política, os líderes dessa conjuração foram traídos por outro arcanjo, Lúcifer, a Estrela da Manhã, o único que conhecia o plano dos revoltosos para libertar o paraíso da opressão a que era submetido. Quando o Arcanjo Sombrio denunciou as ideias revolucionárias, os rebeldes foram derrotados, expulsos do céu e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o fim dos tempos. Enquanto a luz do sétimo dia brilhar, enquanto Deus continuar adormecido, os anjos renegados serão perseguidos e mortos pelos agentes celestiais.

Com o poder e prestígio que conseguiu por ter delatado os insurgentes, Lúcifer arquitetou sua própria revolução. Movido por interesses nem um pouco justos, o Arcanjo Sombrio pretendia tomar o principado de Miguel e ascender acima mesmo do Criador, coroando-se em Tsafon, o Monte da Congregação, e tornando-se assim igual a Deus. O Filho do Alvorecer não queria apenas vencer seu irmão, desejava tornar-se ele próprio Deus; subjugar não apenas o monarca, mas também Yahweh.

Muitos anjos, revoltados com a política celeste, não conheciam as motivações egoístas de Lúcifer e, se juntaram a ele. Ao descobrir a traição, o Príncipe dos Anjos declarou nova guerra, e uma segunda batalha estalou.

Por seus atos e ambições macabros, a Estrela da Manhã e seus seguidores foram lançados ao Seol, poço obscuro de trevas e sofrimento, um lugar terrível, um cárcere permanente. Lá, o Arcanjo Sombrio governa e espera o momento certo para iniciar sua vingança. Hoje, os mortais conhecem essa dimensão pelo nome de inferno.

Muitos milênios se seguiram às duas guerras angélicas, e então os humanos reinventaram o período das grandes catástrofes, com suas próprias armas modernas.


Livro escrito pelo jornalista brasileiro Eduardo Spohr, publicado em 2007 pelo site Jovem Nerd, em 2009 pelo selo editorial criado pelo site e em 2010 pela Verus.

Fonte:
http://veja.abril.com.br
https://pt.wikipedia.org

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Grupo de cientistas internacionais, descobriram um superaglomerados de galáxias 'ao lado' da Via Láctea...

Esse agrupamento de galáxias, foi descoberto recentemente por cientistas do International Centre for Radio Astronomy Research (Centro Internacional de Rádio Astronomia e Pesquisa), sigla ICRAR, na Austrália, e para essa descoberta, eles utilizaram o Observatório Parkes do Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation (Organização de Pesquisa da Comunidade Científica e Industrial), sigla CSIRO, em NSW, em Parkes (Austrália).



Estas galáxias ficam escondidas do campo de visão, por estarem ao lado oposto da Via Láctea, e com uma distância de aproximadamente 250 milhões de anos-luz.

A proporção de estrelas e poeiras acumuladas no percurso do plano da Via Láctea, está na direção do campo de visão, escondendo tudo o que está por trás.

Com uma grande força gravitacional semelhante a um milhão de bilhões de sóis, tem sido estudado, e através de cálculos, foi notado um anormal movimento de atração das galáxias próximas.

Pela falta de conhecimento ou de qualquer designação, os cientistas estão chamando de "Grande Atrator".

A Via Láctea, é somente uma das milhares de centenas de galáxias, que estão ao alcance, sendo atraídas por essa foça desconhecida, em mais de 2 milhões km/h.

Falas do autor do estudo, o professor Lister Staveley-Smith, da Universidade da Austrália Ocidental:

"Nós realmente não entendemos o que está causando essa aceleração gravitacional sobre a Via Láctea, ou de onde ele está vindo"

"Sabemos que nesta região existem algumas grandes coleções de galáxias, que chamamos de agrupamentos ou superaglomerados, e toda a nossa Via Láctea está se movendo em direção a eles."

"Alguns astrônomos acham que o Grande Atrator, é um super-superaglomerados de galáxias; e outros astrônomos pensam que algumas regiões do universo são 'mais escura' do que outras ", o professor fez referência a "Matéria escura" (fenômeno cósmico misterioso que responde por 275 de toda a matéria e energia).

"Alguns físicos, estão mesmo considerando a possibilidade de que as flutuações de massa no universo são tão significativas, que os astrônomos podem ser fundamentalmente interpretando mal a relação entre gravidade e o movimento".

Ainda tudo gira em torno de suposições, a respeito de fenômeno misterioso, mas com observação e compreensão dos movimentos e distribuição das novas galáxias, será fundamental para adquirir novas pistas do que realmente está acontecendo.

A respeito do Grande Atrator, o astrônomo Dr Barbel Koribalski da CSIRO - Astronomia e Ciência Espacial, falou "Pode-se imaginar uma represa gigante com galáxias próximas e distantes lentamente fluindo em direção à ela. Nós não podemos ver muito deste Hoover (aspirador de pó), mas podemos medir o movimento das galáxias".

"A Via Láctea é muito bonita, clara, e é muito interessante estudar a nossa própria galáxia, mas ela bloqueia completamente a visão das galáxias mais distantes por trás dela", disse o professor Staveley-Smith.


Como o radiotelescópio Parkes,  foi modificado, e colocado um receptor inovador, os cientistas poderão observar além da nossa galáxia, um espaço inexplorado.

A professora e astrônoma Renée Kraan-Korteweg, da University of Cape Town (Universidade da Cidade do Cabo), da África do Sul, também faz parte desse estudo, revelou que há décadas vem tentando mapear as galáxias escondidas atrás da Via Láctea.

Falas da astrônoma Renée Kraan-Korteweg:

"Nós usamos uma variedade de técnicas, mas apenas observações de rádio têm realmente conseguido  nos permitir ver através da camada mais grossa de primeiro plano da poeira e das estrelas".

"Uma galáxia média contém 100 bilhões de estrelas, encontramos centenas de novas galáxias escondidas atrás dos pontos da Via Láctea, e há uma grande quantidade de massa que não sabíamos sobre elas até agora".

O Dr. Koribalski da CSIRO, elogiou a tecnologias inovadoras radiotelescópio Parkes, dizendo:

"Ao detectar galáxias atrás da Via Láctea (na chamada Zona de esquiva) e medir seus movimentos, é importante para identificar sua localização e massa total", e continuou "O sistema multifeixe Parkes tornou isso possível. Com este receptor somos capazes de mapear o céu 13 vezes mais rápido do que poderia antes, e fazer novas descobertas a uma taxa muito maior".

Cópias deste receptor foram obtidos através da CSIRO, pelos Estados Unidos e astrônomos chineses para atualizarem os seus próprios telescópios de rádio.

No Telescópio Parkes, será testado com um novo Phased Array (módulo de ultrassom) de alimentação (PAF).
A esse respeito o  Dr. Koribalski, disse "O PAF é um enorme avanço tecnológico, um avanço de grande proporção em que será capaz de fazer pesquisas rápidas e sensibilidades do céu, e obrigatoriamente fazer muitas novas descobertas", e continuou "Como saber mais sobre o Grande Atrator? A resposta é WALLABY, o próximo Australian SKA Pathfinder (ASKAP) HI All Sky Survey,  que é esperado para detectar mais de 500.000 galáxias." (novo telescópio de rádio).

Com isso, a digitalização do céu, será mais ágil, aumentando em 20 vezes à mais a resolução.

O Dr. Koribalski, comentou que espera que como esse novo desimpedimento (telescópio), poderá detectar 10.000 mil galáxias que encontram-se escondidas atrás da nossa Via Láctea.

Esse estudo foi publicado no Astronomical Journal, no dia 10 de fevereiro de 2016.

Fonte:
http://www.perthnow.com.au
http://www.parkes.atnf.csiro.au
https://postagenszm.blogspot.com.br
http://pt.bab.la
https://translate.google.com.br

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Nuvem Smith vem ao encontro de nossa galáxia...

Conhecida como Nuvem Smith, essa nuvem foi descoberta no ano de 1963, pela então jovem doutoranda em astronomia, a americana Gail Smith (daí o nome), que trabalhava na  Universidade Leiden, na Holanda, ela detectou as ondas de rádio emitidas por hidrogênio contido na nuvem.

Recentes observações através do Telescópio Espacial Hubble, indicam que a Nuvem Smoth, lançada a partir das regiões exteriores do disco galáctico, em aproximadamente 70 milhões de anos atrás.

Até a pouco tempo, os cientistas não estavam certos se essa nuvem estava deixando a Via Látea ou vindo em direção dela,mas em um estudo recente, aponta que a Nuvem Smith, está retornando com sua trajetória ao encontro da nossa galáxia, e em aproximadamente 30 milhões de anos, haverá a colisão.

Segundo os astrônomos, devido a colisão, a energia desprendida irá poder gerar estrelas, que provavelmente proporcionará gás suficiente para formar 2 milhões de sóis.

Usando o Telescópio Espacial Hubble, os cientistas, observaram que a Nuvem Smith, está em movimento de uma aceleração gravitacional, ou seja, uma queda livre acerca de 1.126.541 / kph (700.00 / mph), e a colisão com a Via Láctea, deverá ser em um ângulo de 45 graus.

Através do Hubble Cosmic Origins Spectrograph, os especialistas, pela primeira vez conseguiram medir a composição química da Nuvem Smith, com o filtro de luz ultravioleta, e dessa forma puderam saber o local de origem dessa composição; então foi observado três galáxias ativas que se localizam a cerca de milhares de milhões de anos-luz além da Nuvem Smith, e os elementos absorveram a luz ultravioleta, e em particular o enxofre foi encontrado na composição da Nuvem.

Os cientistas chegaram a conclusão, que se há enxofre, é porque a Nuvem, foi alimentada por material de estrelas, então significa que não aconteceria isso se houvesse só hidrogênio intocado.

“Ao medir o enxofre, você pode saber o quão enriquecida em átomos de enxofre a nuvem é quando comparada com o Sol”, explicou o líder da equipe Andrew Fox do Space Telescope Science Institute, que é o centro científico de operações do Telescópio Espacial Hubble.

E assim foi descoberto pelos especialistas, que a  Nuvem Smith, é tão enriquecida de enxofre como disco externo da Via Láctea (região próxima de 40.000 anos-luz do centro da galáxia, e aproximadamente 15.000 anos-luz mais longe do que o nosso Sol e o Sistema Solar).

A Nuvem Smith, foi medida pelos astrônomos, em forma de gás de cometa, e sua dimensões são de aproximadamente 11.000 anos-luz de comprimento e 2.500 anos-luz de diâmetro. 

Se fosse possível ver a Nuvem com luz, ela abrangeria um diâmetro no céu, que seria possivelmente 30 vezes maior que a Lua, na sua fase cheia.


Esse estudo foi publicado no Astrophysical Journal Letters, no dia 01 de janeiro de 2016.

Fonte:
http://www.nasa.gov
http://www.slate.com
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Você conhece Copernicus e Sentinel?...

Copernicus, é um programa de monitorização e observação do nosso planeta. Ele fornece informações que ajuda administrar o meio ambiente, assimilar e diminuir as consequências dos efeitos das alterações climáticas e certificar a segurança dos habitantes.

Este projeto é liderado pela Comissão Européia (CE), que age em nome da União Européia, juntamente com a Agência Espacial Européia (ESA).

A ESA, coordena a entrega de dados de mais de 30 satélites. A CE, é responsável pelo projeto global, as exigências de formato e gerenciamento dos serviços.

A Agência Espacial Européia,  criou uma linhagem de satélites denominada Sentinel (Sentinela), que fornece as informações uniformemente.

Sentinel-1A, lançado no dia 04 de abril de 2014: imagens de radar de todos os climas, dia e noite.

Sentinel-2, lançado no dia 23 de Junho de 2015:  imagens ópticas de alta resolução para os serviços terrestres.

Sentinel-3, fornecimento de registros para os serviços importantes do mar e da terra.

Sentinel-4 e -5, dados para a monitorização da composição da atmosfera a desde as órbitas geoestacionárias e polares, na devida ordem.

Sentinel-6, abordo tem um altímetro de radar para medir a altura da superfície do mar global, especialmente para a oceanografia operacional e para pesquisas climáticas.

No dia 16 de fevereiro de 2016, o Sentinel-3A, será lançado a partir do cosmódromo de Plesetsk no norte da Rússia. O seu lançador, será o foguete  Rockot.

O foguete, só será abastecido um dia antes do lançamento, pois o combustível hidrazina, é altamente tóxico, por isso apenas alguns especialistas permanecerão na sala limpa durante o abastecimento. Um médico e segurança equipe, ficaram nas proximidades, com uma ambulância e bombeiros prontos para agir a qualquer incidente que possa ocorrer.

"...estamos vindo trabalhar, para obter este último Copernicus (programa), o satélite em órbita e trabalhando para o benefício dos cidadãos europeus, e, de fato, os usuários em todo o mundo..." falou Bruno Berruti, gerente do projeto Sentinel-3A da ESA.

Sentinel-3A, é primordial em relação ao mar e seu monitoramento costeiro, assim como o estudo do tempo e previsão climática para o mar, a mudança do nível do mar e monitoramento topografia da superfície do mar, no oceano, e mapeamento de mudanças de cobertura da terra.

Fonte:
http://www.esa.int
https://directory.eoportal.org
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Teoria de Albert Einstein comprovada...

Ondas gravitacionais, foram detectadas pelo Ligo - Gravitational-Wave Observatory Laser Interferometer (observtórios terrestres em Hanford, Washington, e Livingston, Louisiana), essa descoberta foi anunciada pela Fundação Nacional da Ciência (NSF, sigla em inglês).

Há 100 anos atrás, ou seja, um século atrás Albert Einstein, em sua teoria da relatividade geral, antecipou que existia ondas gravitacionais; os cientistas vem tentando detectar há 50 anos, as ondas gravitacionais.

Albert Einstein, fotografou essas ondas como ondulações no tecido do espaço-tempo oriundas de organismos de aceleração de massa, por exemplo os buracos negros que orbitam um no outro.

Os cientistas estão empenhados ​​em verificar e definir essas ondas para saber mais sobre as fontes que dão origem a elas e sobre a própria gravidade.

As detecções feitas por LIGO, simbolizam uma abertura para novos ramos da astrofísica, pois quase todas informações que conhecemos sobre o universo, vem de detecção e análise de luz em todas as suas formas em todo o espectro eletromagnético: infravermelho, visível, ultravioleta, raios-X de rádio e raios gama.

O conhecimento sobre as ondas gravitacionais, abre uma janela, sobre o universo, que os cientistas esperam poder e obter informações-chave que complementará o que podemos aprender através da radiação eletromagnética.  

Desta forma, em outras áreas da astronomia, os astrônomos necessitam tanto dos observatórios terrestres, como espaciais, para poderem conseguirem extrair informações ao máximo desta nova janela que se abre.

LIGO, é sensível as ondas gravitacionais dentro do intervalo de 10 a 1000 ciclos por segundo (de 10 a 1.000 Hz). Um sistema apoiado no espaço seria capaz de revelar ondas em frequências muito mais baixas, 0,0001-0,1 Hz, e revelar diferentes modelos de origens.

 Nasa, está trabalhando em estreita colaboração com a Agência Espacial Européia (ESA), para criarem uma ideia para um observatório de ondas gravitacionais, fundamentado no espaço, pois as ondas são tão fracas que os observatórios da Terra e espaciais, possivelmente só conseguiram detectar os sinais que teve a origem de estruturas astronômicas maciças, como buracos negros binários ou explosão estelares.

ESA, está atualmente conduzindo a missão LISA Pathfinder, que teve seu lançamento no mês de dezembro de 2015, e agora em sua fase de comissionamento, para demonstrar tecnologias que poderiam ser usados ​​para um futuro observatório de ondas gravitacionais fundamentado no espaço.

A Nasa, contribuiu com a sua ST-7 Sistema de Redução de Distúrbio (DRS, sigla em inglês) da carga útil como parte dessa demonstração.

Fonte:
http://www.jpl.nasa.gov
https://www.ligo.caltech.edu
http://science.nasa.gov
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Planeta 9 em cheque...

No dia 20 de janeiro de 2016, os cientistas Konstantin Batygin e Mike Brown, astrônomos do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), em Pasadena, na Califónia (EUA), anunciaram a descoberta de que poderia ser um planeta gigante no Cinturão de Kuiper, no limite externo no nosso Sistema Solar distante.

Chamado de "Planeta Nine" (Planeta 9), teria 10 vezes a massa do nosso planeta e para uma orbita completa no Sol, ele levaria a cerca de 10.000 e 20.000 anos, estando aproximadamente 20 vezes mais longe do nosso astro rei, em relação ao planeta Netuno, em distância com o Sol.

Mike Brown, falou "Este seria um verdadeiro planeta 9", e continuou "Não foram apenas dois verdadeiros planetas descobertos desde os tempos antigos, e isso seria um terceiro. É um pedaço muito substancial de nosso Sistema Solar, que ainda está lá fora para ser encontrado, o que é muito emocionante".


Ann-Marie Madigan, cientista e pesquisadora com pós-doutorado na Universidade da Califórnia, em uma palestra no Instituto SETI. afirmou que não pode ser um planeta.

Embora ela admiti que houve avistamento recentemente e observações mostraram algo "estranho" na saída da extremidade do Sistema Solar, ela deu explicação para essa afirmação desigual.

A pesquisa de Madigan, aponta a presença de um circuito de planetas anões e asteroides, similar ao Cinturão de Kuiper, como se fosse  uma segunda cintura de asteroide orbitando, após o planeta Netuno.

E com essa concepção, o planeta 9, não é real.

"Devemos ter uma nova Cintura de Kuiper, que é muito mais maciça do que o atual Kuiper Belt, há dias e distâncias maiores", falou  Ann-Marie Madigan, no decurso da palestra no Instituto SETI.

A teoria de Ann-Marie Madigan, será publicada no Monthly Notices do Royal Astronomical Society, no próximo mês.

Fonte:
http://www.mirror.co.uk
http://www.space.com
https://translate.google.com.br

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Objeto que caiu do céu, causou uma morte na Índia...

Neste fim de semana, um objeto azul caiu do céu e atingiu uma faculdade de engenharia, perto da cidade de Vellore, no distrito de Tamil Nadu, em Nova Déli, na Índia.

Segundo relatos, o objeto colidiu com o chão, onde causou danos no refrigerador de água, e devido ao impacto soltou fragmentos, e esses fragmentos foram fortemente arremessados. De acordo com a polícia, um motorista que se encontrava próximo ao local da colisão, onde havia escombros, foi atingido e levado ao hospital, mas não resistiu e morreu.

O diretor da faculdade, relatou ter escutado um grande barulho de seu escritório, onde diversos vidros de janelas se quebraram devido a colisão do objeto com o chão.

Cientistas e autoridades locais, nesta terça feira, estavam examinando a cratera que se formou com a colisão do objeto na faculdade, o tamanho da cratera é de 2 metros de largura (5 pés), e segundo eles, teriam que investigar, se esse objeto, faz parte de algum avião que poderia estar trafegando naquele momento, se veio do espaço, ou de algum satélite construído pelo homem.

Segundo os funcionários da faculdade, os vidros das janelas se estilhaçaram devido ao som da explosão que foi forte, e carros que estavam estacionados próximos do edifício, foram danificados com os estilhaços de vidros.

O objeto de cor azul escuro, é duro, irregular e pequeno, tão pequeno que caberia em um mão fechada.


Os cientista usaram detector de metal no local da cratera, mexeram na terra, para saber se havia presenças de metais.

"O objeto que a polícia recuperou a partir do local, teria que passar por análise química, para saber com exatidão sua origem", falou a Professora GC Anupama, professora Associada no Instituto Indiano de Astrofísica.

A ministra-chefe de Tamil Nadu, J. Jayalalithaa, falou no domingo, dia 07 de fevereiro de 2016, que o motorista do ônibus tinha sido morto por um meteorito e ofereceu compensação para sua família.

Fonte:
http://www.mlive.com
http://www.sheisanastronomer.org
https://en.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

'A Porta para o Inferno' de Darvaz...

É uma cratera que está localizada na aldeia de Darvaz, também conhecida como Darvaza, ou Derweze (significa portão), que fica no meio do deserto de Karakum, no Turquemenistão.

Devido a área ser muito rica em gás natural, geologistas soviéticos no ano de 1971, escavaram um buraco para estudos sobre o gás, mas a plataforma de escavação não aguentou e ruiu, e desse modo, deu origem a cratera. Com receio do gás ser tóxico e também poder trazer algumas espécies de danos, os geologistas resolveram atear fogo, e a partir deste episódio, e até o presente momento, a cratera ainda continua a pegar fogo, e liberando um intenso cheiro de enxofre na região.

As dimensões desta imensa cratera são de aproximadamente 70 metros (229 pés) de diâmetro por 20 metros (65 pés) de profundidade.


No ano de 2010, o então presidente Gurbanguly Berdimuhamedow, resolveu tapar a cratera com areia, mas devido as incessantes solicitações turísticas, ele voltou atrás e resolveu deixar que o fogo se apague quando o gás se esgotar.

A cratera foi denominada 'A porta para o inferno' (Door to Hell), pelos moradores locais, devido a junção do significado do nome da aldeia onde eles residem ser 'portão', e a cratera com o seu fogo contínuo, exalando o cheiro de enxofre.

Fonte:
http://www.globo.com
http://www.folha.uol.com.br
https://pt.wikipedia.org
https://www.google.com.br/maps

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Nebulosa em formato de quadrado...

Denominado MWC 922, é um sistema de estrelas quentes, que se encontrar introduzido em uma nebulosa com um inusitado formato de quadrado.

Logo abaixo você pode observar essa nebulosa, em uma captura de imagem que combinou exposições em infravermelho do Telescópio Hale, do Observatório Palomar, na Califórnia (EUA) e dos Telescópios Gêmeos, no Observatório WM Keck, no Monte Mauna Kea, no Havai (EUA).

É acreditado pelos cientistas, que a hipótese mais provável da origem do formato desta nebulosa, é que o sistema de estrelas (uma ou mais estrelas) que se concentra no núcleo da nebulosa, ejetou de alguma forma cones de gás. Então, para o sistema MWC 922, quando ejetados, os cones de gás estão integrados e acontecem praticamente em ângulos retos, que são avistados nas laterais.

O indício que de se mantém a hipótese dos cones, incluem os raios radiais observados na imagem que podem correr por toda a extensão das paredes dos cones.

Os cientistas, consideram que os cones avistados de outro ângulo, seriam parecidos aos anéis gigantes da supernova 1987A , possivelmente indicando que uma estrela do sistema do MWC 922, um dia será capaz de produzir uma explosão igual de uma supernova. 


Até o presente momento, ainda não está completamente concluso, sobre esse formato de quadrado desta nebulosa.

Fonte:
http://apod.nasa.gov
https://translate.google.com.br

domingo, 7 de fevereiro de 2016

NGC 660 - galáxia de anel polar...

Com aproximadamente 20 milhões de anos-luz de distância, a galáxia NGC 660, devido o seu aspecto específico, é uma espécie rara identificada como uma galáxia de anel polar.

As galáxias de anel polar, possuem uma estrutura formada consideravelmente de estrelas, gás e poeira que orbitam em anéis quase perpendicularmente ao plano de seu disco galáctico achatado.

É acreditado pelos cientistas, que a diferente formação desta galáxia, seja pelo fato de que duas galáxias interagiram entre si, ou seja, provavelmente, o material desta galáxia, foi puxado de outra galáxia, pela força das marés (interação gravitacional), quando elas se cruzaram, então originou o anel, avistado nas raras galáxias de anel polar. ´

Existe outra hipótese, que também é pensado pelos cientistas, de que uma galáxia menor, cruzou a trajetória desta galáxia que é maior, então a galáxia menor passou a fazer parte da estrutura desta galáxia que é maior, sendo assim, a galáxia menor ficou constituída como anel polar.

As regiões com milhares de estrelas com a cor rosa ao longo do anel (ver abaixo na imagem), é devido a interação gravitacional violenta intergaláctica.

A estrutura do anel polar, pode ser usado para efetuar estudos sobre o invisível halo de matéria escura, sendo feito através de cálculos da influência gravitacional da matéria escura na rotação do anel e do disco galáctico. O anel polar se alonga por 50.000 anos-luz, e é mais vasto que o disco da galáxia NGC 600.



A galáxia NGC 660, encontra-se "flutuando" nas divisas da constelação de Peixes. Ela é considerada rara, pelo fato de que até o momento, foram encontradas apenas 12 galáxias iguais a esta.

Fonte:
http://apod.nasa.gov
http://www.spacetelescope.org
https://translate.google.com.br

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Edgar Mitchel nos deixou...

Edgar Dean Mitchel, nasceu 17 de setembro de 1930, em Hereford, no Texas (EUA), foi um astronauta americano, e o sexto homem a pisar na Lua. No dia 04 de fevereiro de 2016, infelizmente nos deixou, esse ocorrido aconteceu na véspera de comemorar o 45.º aniversário da sua aterragem lunar, com a Apollo 14.

Edgar Mitchel, sobre o voo espacial:

"Para mim, isso  foi o culminar do meu ser, e o que posso aprender com isso? O que é que estamos aprendendo? Isso é importante, porque eu acho o que estamos tentando fazer é descobrir a nós mesmos e nosso lugar no cosmos, e nós não sabemos. Ainda estamos procurando isso".

Em seu livro  "The Way of the Explorer" (O Caminho do Explorador), ele escreveu:

"Havia uma sensação de que a nossa presença como viajantes do espaço, bem como a existência do próprio universo, não foi acidental, mas que houve um processo inteligente no trabalho".

Edgar Mitchell, falou sobre alienígenas querendo a paz... falou ao Mirror Online:

"Minha própria experiência conversando com as pessoas, ficou claro que os alienígenas estavam tentando nos impedir de ir para a guerra e ajudar a criar a paz na Terra".

 Ele foi uma das pessoas mais notáveis na comunidade mundial da ufologia.



Edgar Mitchell:

Se aposentou da NASA e da Marinha dos EUA e fundou o Instituto de Ciências Noéticas em 1973, organizado para patrocinar pesquisas na natureza da consciência.
Em 1984, ele co-fundou a Associação de Exploradores Espaciais, e a organização internacional para todos os que "partilhar a experiência da viagem espacial." A missão desta organização é fornecer uma nova compreensão da condição humana resultantes da época da exploração do espaço.

Em um comunicado a Nasa disse:

"Como um membro da tripulação Apollo 14, Edgar é um dos  12 homens a andar na Lua, ele ajudou a mudar a forma como vemos o nosso lugar no universo".

Fonte:
https://www.nasa.gov
https://postagenszm.blogspot.com.br
https://translate.google.com.br

Dust Bowl - A grande tempestade de poeira da história...

Esse fenômeno conhecido como Dust Bowl (bacia de poeira), causou quase 10 anos de seca, poeira, doença e morte, foi considerado pelos cientistas o "desastre de uma década". 

Durante quase uma década, nos anos de 1930 até 1939, uma tempestade de areia varreu o norte do Texas, atingindo os estados de Oklahoma, Novo México, Colorado e Kansas (EUA), afetando 125 milhões de acres de terra.

A principal extensão desse impacto, foi sobre as planícies do sul, já as planícies do norte, não sentiram tanto, mas com a seca, a poeira levada pelo vento e declínio agrícola, não só afetaram as planícies do norte, mas mexeu com o mundo todo.
                                                         
                                                            
                                                          Quase 10 anos...

Ano de 1931:
- A nevasca negra (Black Blizzards), que são tempestades de areia de proporção descomunal, atinge as planícies do meio-oeste e do sul, e assim começa...

Ano de 1932:
- A quantidade de tempestade de areia aumenta, e neste ano foram relatadas 14 tempestades.

Ano de 1933:
- Neste ano segundo os relatos, as tempestades de areia aumentaram para 38.
- Durante este ano, houve diversas manobras, do congresso, e instituições financeiras, como os bancos, para o auxilio aos produtores, para estabilizar a economia e aumento salarial aos trabalhadores (após muitas lutas em greve, houve mortes de 2 homens e 1 mulher).

Ano de 1934:
- No mês de maio, grandes tempestades de poeira se espalharam a partir do Dust Bowl.
-  75% do país e 27 estados, foram afetados severamente pela seca. 
- O presidente Roosevelt assina a Taylor Grazing Act, - 140 milhões de acres de terras de propriedade federal fora do domínio público, para tornar estável os distritos de pastagem, com intenso monitoramento, na tentativa de reverter os danos causados ao solo, pelo seu uso excessivo, isso deteve a decomposição, mas não desfez o estrago histórico.
- Grandes prejuízos no solo de terras cultivadas.

Ano de 1935:
-  Chamado de Black Sunday, em abril houve uma catastrófica "tempestade de neve negra", a partir do Dust Bowl.
- Foi um ano de medidas e investimentos em todas as esferas do país, para a prevenção e conservação do solo, com a criação do Soil Conservation Service (SCS), do Departamento de Agricultura.

Ano de 1936:
-  O SCS, publica uma lei distrital de conservação do solo, que permite aos agricultores, criarem seus próprios distritos para colocar prática a conservação do solo para um períodos de cinco anos. Uma das poucas organizações de base criados pelo New Deal, ainda em funcionamento, o Programa Distrital de Conservação do Solo.

Ano de 1937:
-  "Vejo um terço da nação mal alojada, mal-vestida, mal-nutrida, o teste de nosso progresso não é se nós adicionamos mais à... abundância daqueles que têm muito, e sim nós fornecemos bastante para aqueles que têm muito pouco", discurso do presidente Roosevelt ao povo dos Estados Unidos.
- Começa o projeto de plantio em larga escala de árvores, ao longo de uma ampla zona de aproximadamente 161 km (100 milhas) do Canadá ao norte do Texas, com a intenção de proteger o solo da erosão.

Ano de 1938:
- A seca continua, mas o extenso trabalho re-arar a terra em valas, e o plantio de árvores em barreiras, e outros métodos de conservação, resultou em uma redução de 65% na quantidade de solo onde houve o Dust Bowl (bacia de poeira).

Ano de 1939:
- A chegada da chuva no outono, coloca fim na devastadora seca, e o país sai desse abatimento e as planícies mais uma vez tornam-se douradas com trigo. 


Entenda:
- Dust Bowl, aconteceu por causa de práticas agrícolas inadequadas, tirando da terra, a sua vegetação protetora, criando uma bacia de poeira em uma escala nunca antes vista, e com isso vem a tempestade negra e a seca, e tudo é tomado por areia (poeira).

Fonte:
http://edhelper.com
http://www.english.illinois.edu
https://en.wikipedia.org
http://www.pbs.org
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Uma família de asteroide...

No dia 03 de agosto de 2015, a Nasa, postou em seu site, uma matéria sobre o descobrimento de "uma família de asteroide" entre os planetas Marte e Júpiter.

Segundo os cientista, é uma família única de rochas espaciais. Esses asteroides excêntricos interplanetários, são os asteroides Euphrosyne (nome de uma deusa grega da alegria), e por algum motivo, eles se encontravam distantes, escuros e misteriosos.

Espalhados na beira externa do cinturão de asteroides, os Euphrosynes tem um curso orbital anormal, que se projeta bem acima da eclíptica, e do equador do Sistema Solar.

Na atualidade, é acreditado que o asteroide Euphrosyne, sofreu uma grande colisão a cerca de 700 milhões de anos, e com isso gerou uma "família" de asteroides menores que levam esse nome. É pensado pelos cientistas que esse evento foi uma das últimas grandes colisões no Sistema Solar.

Os cientistas do Jet Propulsion Laboratory (JPL), na Califórnia (EUA), usaram a agência Near-Earth Object - NEO (Objetos Próximos da Terra, em português), e pesquisaram utilizando o telescópio espacial Wide-field Infrared Survey Explorer (WISE), da Nasa, que possui ondas infravermelhas, chegaram a conclusão que essa família Euphrosyne, podem ter aproximadamente 1400 asteroides.

E também foi descoberto pelos cientistas, que através das interações gravitacionais com Saturno, os asteroides Euphrosyne podem evoluir para NEOs (Objetos Próximos da Terra) em uma escalas de tempo de milhões de anos.

Joseph Masiero, principal cientista do JPL na pesquisa do Euphrosynes. falou,"Os Euphrosynes têm uma ressonância gentil com a órbita de Saturno que move lentamente esses objetos, e acabou transformando alguns deles em NEOs" e continuou, "Esta ressonância gravitacional em particular tende a empurrar alguns dos maiores fragmentos da família Euphrosyne no espaço próximo à Terra".

Uma melhor compreensão das origens e comportamentos destes misteriosos objetos, vão dar aos cientistas uma visão mais clara dos asteroides em geral, e em particular os NEOs que circundam a vizinhança da Terra.


Asteroide Euphrosyne (que deu a origem a família):

Foi o primeiro asteroide encontrado na América do Norte, no dia 1 de Setembro de 1854, por James Ferguson, que foi um americano astrônomo e engenheiro.

Esse asteroide possui aproximadamente 260 km (156 milhas) de diâmetro, e é um dos 10 maiores asteroides no cinturão principal.

https://www.nasa.gov
https://www.google.com.br
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Super 8... (frase)

"Eu disse a eles que criatura era mais sofisticada do que qualquer um de nós. Que sua espécie são principalmente subterrânea. 
E ele está sendo tratado sem compaixão e respeito. 
Expliquei-lhe que tudo que ele quer, é reconstruir seu navio. Uma aeronave consiste nos baldes de formas complexas, feito de um material admirável. 
E você nunca vai entender completamente. 
Ele está desesperado para reconstruir seu navio a partir do que caiu aqui em 1958. "  (Super 8 - Filme).


Super 8: filme americano, de ficção científica.
Lançamento: 12 de agosto de 2011.
Escrito e dirigido: J. J. Abrams,
Produção: Steven Spielberg,
Atores: Kyle Chandler, Joel Courtney, Elle Fanning e Noah Emmerich.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org
http://www.adorocinema.com

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Grande máscara do universo de duas galáxias...

As galáxias  NGC 2207 e IC 2163, como podem ser vistas na imagem com infravermelho capturada pelo Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, estão em uma distância de aproximadamente 140 milhões de anos-luz do nosso planeta, rumo a constelação de Canis Majoris, no hemisfério celestial sul.

Elas são duas galáxias espirais, e estão a caminho de uma fusão, e isso faz com que elas aparentam uma máscara enorme no universo, com cores modificadas (falsas), vocês podem observar na imagem logo abaixo, que 'os olhos' verde-bebe, são os núcleos das galáxias e a estrutura que forma a máscara, são os braços espirais.

As duas galáxias estão em um processo de maré gravitacional (força de atração gravitacional entre dois corpos), que começou aproximadamente 40 milhões atrás, e em alguns bilhões de anos, elas se colidirão e a fusão será feita, e sendo assim, elas acabarão sendo uma grande galáxia elíptica (forma esférica e não têm estrutura em forma de espiral).

Fonte:
http://science.nationalgeographic.com
https://pt.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Você sabia que existe o dia do asteroide?...

O Dia do asteroide, será comemorado anualmente no dia 30 de junho, e esse movimento global, que teve seu lançamento no ano de 2015; foi fundado por Brian May, que é astrofísico e guitarrista da banda Queen, Rusty Schweickart, um ex-astronauta norte-americano e também pelo cineasta alemão Grig Richterse. 

Esse evento de lançamento, teve a participação de 100 cientistas, astronautas e líderes empresariais.
O Dia do asteroide, foi constituído com o propósito de aumentar a consciência pública sobre possíveis impactos de asteroides com o nosso planeta, e da importância de proteger a Terra, contra eles.


"Embora as chances sejam pequenas, basta um asteroide e um milhão de riscos de acertar a Terra, para que ocorra uma tragédia global", disse Brian May, no lançamento do Dia do asteroide no ano de 2015.

Fonte:
https://postagenszm.blogspot.com.br

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Lago Natron...

Este intrigante lago, está localizado ao norte da Tanzânia, próximo da fronteira com o Quênia, no Grande Vale do Rift (complexo de falhas tectônicas gerado aproximadamente 35 milhões de anos com a separação das placas tectônicas africana e arábica).

Este lago, tem sua origem tectônica, e chega ser uma bacia hidrográfica, pois suas águas não tem saída para o mar.

O lago, possui um ph muito alto, que está entre 9 e 10.5, e devido sua evaporação, que também tem uma taxa bem alta, sua salinidade aumenta a um ponto de microrganismos adaptados ao meio ambiente salino, começam a se proliferar.

No ano de 2013, esse lago, foi muito divulgado, com referências aos animais petrificados, onde diversas notícias anunciavam que os animais que tocassem as águas do lago, instantaneamente, ficariam petrificados.

Na verdade, os animais petrificados, tiveram suas mortes por outros motivos, mas devido estarem expostos e residirem por um longo período próximo ao lago, ficaram petrificados. E não morreram petrificado por tocarem nas águas do lago.


A alta salinidade do lago, é a causa mais provável desta petrificação dos animais, depois que eles morreram.

O fotógrafo Nick Brandt, em seu livro "Across the Ravaged Land" (Do outro lado da terra devastada) do ano de 2013, retratou os animais petrificados, e diga-se de passagem, um belo trabalho fotográfico.


Como ponto de observação, que não há fundamento algum, de que os animais que tocaram as águas do lago se petrificaram instantaneamente, é pelo fato dos flamingos-pequenos (Phoenicopterus minor), viverem nesta região, e sendo o único lugar de procriação deles, e também pelo fatos deles se alimentarem das cianobactérias que se reproduzem no lago.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org
http://www.nickbrandt.com
http://passagem-promocao.com
https://www.google.com.br