sexta-feira, 31 de julho de 2015

Fotos da Lua...

Hoje é o dia da Lua azul, essas fotos foram tiradas na cidade de Campinas, SP - Brasil.







Ler no blog ZM.
http://postagenszm.blogspot.com.br/search?q=lua+azul

Exoplanetas...

É considerado exoplanetas, os planetas que não orbitam no nosso Sistema Solar, ou seja, são planetas de um outro sistema planetário, que orbitam uma estrela que não é o nosso Sol.

Os exoplanetas são identificados apenas pelas consequências que causam em sua estrela, as formas de detectar exoplanetas, são: astrometria, velocidade radial, microlente gravitacional, trânsito, e o disco circunstelar.

- Astrometria:Essa forma resulta a delimitação do movimento próprio da estrela à procura dos efeitos causados por seus planetas.

- Velocidade radial: É uma forma, que tem a capacidade de achar facilmente planetas que estão na proximidade de uma estrela, porém tem a complexidade de achar planetas que orbitam em um maior afastamento.

- Microlente gravitacional: Esta é a forma mais favorável para achar planetas que se encontram em uma localização entre a Terra e o núcleo de uma galaxia, pois as galáxias tem em seus núcleos uma volumosa quantia de estrelas afastadas de profundidade.

- Trânsito: É uma forma recém elaborada, que identifica a sombra do planeta quando este atravessa perante a estrela que ele orbita.

- Disco circunstelar:  são discos de poeira estelar que cercam muitas estrelas, e estas podem ser identificadas, porque sugam a luz visível da estrela e devolvem como radiação infravermelha; e a acumulação em determinados pontos do disco indicam a existência de planetas.

A identificação dos exoplanetas ficaram mais fácil, vejam o porque:

A Agência Espacial Europeia, tem um programa chamado 'Projeto Espacial Darwin',  esse projeto é de uma sonda espacial não tripulada, que tem por objetivo, introduzir um conjunto de telescópios orbitais, com o propósito de identificar planetas que orbitam ao redor de uma estrela (exoplanetas), assim como a Terra, com o intuito de encontrar vidas nesses planetas.

O lançamento da sonda espacial não tripulada tem sua  previsão para depois do ano de 2015 (estimativa para 2020) e a localização da sonda  tem como planejado o Ponto de Lagrange L2, que é um local afastado da Terra, com aproximadamente 1,5 milhões/km do nosso planeta.

O Ponto Lagrange, está posicionado na lateral contraria do Sol, que facilita efetuar estudos sem nenhuma interrupção do céu, sendo que o nosso astro rei, o nosso planeta, e o satélite natural da Terra (Lua), estarão atrás da sonda espacial.

Fonte:
https://www.google.com.br
https://pt.wikipedia.org

quinta-feira, 30 de julho de 2015

SOHO...

Observatório Solar e Heliosférico (SOHO), é uma sonda espacial, que foi projetada pela Nasa e pela ESA, com o intuito de se ter um novo olhar para as observações solares.

A sonda espacial SOHO, foi lançada em 12 de dezembro de 1995, na realidade essa missão seria para ser apenas de dois anos, mas até hoje está em funcionamento.

Depois de duas décadas, SOHO, se tornou o maior desbravadora de cometas de todos os tempos, neste mês de agosto de 2015, se espera uma marca de 3 mil cometas encontrados por essa sonda espacial.

"SOHO tem uma vista de cerca de 12 milhões e meio de milhas além do sol", disse Joe Gurman, cientista da missão para SOHO no Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland (EUA). "

Através da sonda SOHO, e suas diversas ferramentas, pode se ter uma ideia como um cometa evapora fora da sua superfície, quando se aproximam do Sol, pois essa sonda espacial é a única que pode mostrar os cometas bem próximos do Sol, que são conhecidos de cometas rasantes.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br
https://es.wikipedia.org

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Zona habitável...

Na astronomia, zona habitável significa que é um local do espaço ao redor de uma estrela, na qual o local tem um grau de emissão de energia (radiação), gerada por ela mesma, que dispõe da presença de água no estado líquido na superfície de um planeta.

A zona habitável está em um posicionamento no interior, no meio de 0 °C (273 K) e 100 °C (373 K), as temperaturas de congelamento e evaporação da água; dessa maneira pode estabelecer uma zona habitável.

Então um planeta de zona habitável, quer dizer que esse planeta tem chance apropriada para sustentação de condição do crescimento e do progresso de vida. 

Exemplo: a Terra.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org
https://www.google.com.br

terça-feira, 28 de julho de 2015

'Missão impacto de um asteroide'...

No mês de fevereiro de 2013, um meteoro caiu na cidade de Chelyabinsk, na Rússia, e seu impacto foi de uma proporção muito grande, pois liberou aproximadamente 500 quilotons de energia durante essa tragédia, e seu tamanho era cerca de 10 mil toneladas de massa e 17 metros de diâmetro, e causou grandes danos, machucando centenas de pessoas e prédios destruídos.

Uma ameça de vários meteoros colidirem com a Terra é muito pequena, mas não é impossível, e poderia ser devastadora uma tragédia como essa.

Em um esforço de conter uma catástrofe de um ou mais meteoros atingir o nosso planeta, a Agência Espacial Européia (ESA), informou um projeto para proteger a Terra de possíveis colisões.

A esse projeto recebeu o nome de 'Missão impacto de um asteroide', que seria um plano de usar satélites que atirariam projéteis com propulsores nos asteroide, isso mandaria eles bem longe de nossos planeta.

O método também ajudaria os cientistas a demarcar um rumo certo para os meteoros ricos em minerais, para que fossem explorados organizadamente.

Fonte:
http://www.mirror.co.uk
https://pt.wikipedia.org
https://translate.google.com.br

segunda-feira, 27 de julho de 2015

O descobridor de Plutão...

Clyde Tombaugh, nasceu em 04 de fevereiro de 1906, na cidade de Streator, estado de Illinois - EUA, e faleceu em 17 de janeiro de 1997, na cidade de Las Cruces, no estado do Novo México - EUA.

Tombaugh, era astrônomo, e quando descobriu Plutão no ano de 1930, trabalhava no Lowell Observatory. 

O astrônomo Tombaugh, estimulado pelos palpites de outros astrônomos, fez uma procura metódica à procura no nono planeta. Ele também encontrou, diversos aglomerados de corpos celestes e galáxias, estudou a divisão provável das nebulosas fora da Via Láctea (extragalácticas), e fez análises das superfícies dos planetas Marte, Vênus, Júpiter, Saturno e o satélite natural da Terra, a Lua.


Em homenagem ao descobridor de Plutão, as cinzas do corpo de Clyde Tombaugh, estão a bordo da sonda espacial New Horizons.

Annette Tombaugh, filha de Clyde Tombaugh, emocionada falou para a Nasa...

"Acho que meu pai estaria emocionado com a New Horizons".

"Quando ele olhou para Plutão, aquilo era apenas um pontinho de luz, tenho certeza que iria significar muito para ele ver o planeta que ele descobriu melhor estudado, melhor entendido".   


Fonte:
http://www.nasa.gov
https://pt.wikipedia.org
https://translate.google.com.br
https://www.google.com.br (Reprodução / Imagens)

domingo, 26 de julho de 2015

Júpiter um escudo protetor...

A primeira colisão avistada entre dois corpos do sistema solar, foi no anos de 1994, sendo mais preciso, de 16 de julho até 22 de julho de 1994, o cometa Shoemaker-Levy 9 se partiu e colidiu com Júpiter.

Os estilhaços do cometa Shoemaker-Levy 9, foram num total de 21 fragmentos visíveis e com um diâmetro presumido de 2 km, de cada um dos fragmentos. 

O primeiro impacto aconteceu às 20h12min UTC, no dia 16 de julho, quando um dos fragmentos, atingiu o hemisfério Sul de Júpiter, com uma velocidade de 60 km/s, e logo após o impacto, foi observado por diversos telescópios uma grande mancha, que os cientista concluíram, que seu tamanho era aproximadamente 6 mil/km de diâmetro.

No decorrer de seis dias, Júpiter sofreu diversas colisões de impactos dos fragmentos do cometa, mas o primeiro maior impacto foi no dia 18 de julho às 07h33min UTC, quando um fragmento colidiu e liberou uma energia semelhante a 6.000.000 de megatons de TNT, formando uma enorme mancha escura, que os cientistas concluíram que seu tamanho era de aproximadamente 12 mil/km de diâmetro.

Após 12 horas do último grande impacto, aconteceram mais dois na mesma proporção, no dia 19 de julho, onde também gerou cicatrizes iguais.

Os impactos no planeta Júpiter, continuaram até o dia 22 de julho.

Como o planeta Júpiter tem uma rápida rotação, os locais de impactos ficaram visíveis para serem observados da Terra.

Todo esse evento foi captado por diversos telescópios, inclusive os telescópios espaciais como o Telescópio Espacial Hubble, o satélite de observação de raios-X ROSAT, as sondas Ulysses e a Voyager 2, e também a sonda Galileu. A mídia fez grande cobertura, e astrônomos do mundo inteiro observaram o ocorrido.

O cometa Shoemaker-Levy 9, foi descoberto pelos pelos astrônomos Carolyn Shoemaker, Eugene Shoemaker e David H. Levy em 24 de março de 1993, em uma imagem registrada pelo telescópio Schmidt do Observatório Palomar na Califórnia - EUA.

A imagem do cometa, dava a entender que ele era anormal, expondo vários núcleos em uma érea esticada, de aproximadamente 50 segundos de arco de comprimento, e de 10 segundos de arco de largura.

Pesquisas indicavam que ao invés de orbitar o Sol, o cometa Shoemaker-Levy 9, estava orbitando Júpiter, e se movia em uma média de 2 anos para orbitar o planeta.

O cometa, foi batizado com o nome dos astrônomos que fizeram o descobrimento.


Depois do ano de 1994, foram registrados mais colisões em Júpiter, sendo nos anos de 2009 e 2010; e em 2012, astrônomos amadores, observaram flash em Júpiter, e tudo indica ser mais uma colisão.

* Peter Ward (geólogo e paleontologista ) e Donald Brownlee (astrônomo e astrobiólogo), no seu livro: Rare Earth - Why Complex Life Is Uncommon in The Universe , nome original, (Terra Rara - Porque a vida complexa é rara no Universo, traduzido em português), eles apontam na tese, de que o planeta Júpiter atua como um protetor do Sistema Solar interior (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte).

Em outras palavras, o planeta Júpiter, nos ajuda sendo um escudo protetor.

Fonte:
http://www2.jpl.nasa.gov
https://pt.wikipedia.org
http://hypescience.com

sábado, 25 de julho de 2015

O novo navio Vital de Oliveira,vai fazer a diferença...

O Brasil conta um com novo navio de pesquisas hidroceanográficas, o Vital de Oliveira; ele mede 78 metros de comprimentos, sua autonomia é de 30 dias, e tem uma velocidade máxima de 12 nós e uma velocidade de cruzeiro de 10 nós. Possui uma capacidade para 130 pessoas, sendo 90 tripulantes e 40 pesquisadores.

Ele se diferencia de outros navios pela quantidade de equipamentos que possui, e pela estrutura disponível, contendo 5 laboratórios. Esse novo navio é o primeiro navio brasileiro exclusivo para pesquisas  

"As quatros áreas da oceanografia, física, química, geológica, e biológica, elas trabalham narradas, e o fato disso poder ser feito simultaneamente com tantos instrumentos que tem a bordo, isto torna esse navio, sem precedente perante os outros que nós temos aqui no país", falou, José Luiz Azevedo, pesquisador da FURG (Fundação Universidade Federal do Rio Grande), no vídeo do YouTube.

Equipamentos:
- Ecobatímetros 
- Multi-feixe
- Perfilador de velocidade do som
- Sonar de varredura lateral
- Rede de plancton
- Medidor de salinidade
- Veículo operado remotamente
- Duas lanchas hidrográficas
- Equipamentos online, ou seja, em tempo real com dados coletados.

"Os equipamentos que temos aqui, são todos equipamentos de ponta, que tem nos melhores navios do mundo", falou Capitão-de-fragata Aluizio, comandante do navio Vital de Oliveira, no vídeo do YouTube.

A qualidade e a abrangência será significativa na pesquisa oceanográfica brasileira, e no cotidiano em campo e na pesquisa, irá ter o reflexo de uma grande melhora, e mudará o patamar da pesquisa oceanográfica brasileira, devido os instrumentos disponíveis no navio Vital de Oliveira. comentaram os pesquisadores do navio, no vídeo do YouTube.


O novo navio será usado no monitoramento e caracterização física, química, biológica, geológica e ambiental de áreas oceânicas para a exploração de recursos naturais. Ele é um dos cinco melhores navios do mundo.

No Twitter , na página do MCTI, o coordenador da primeira missão do Navio Vital de Oliveira, escreveu, "Brasil reconheceu o oceano como eixo de desenvolvimento".

Fonte:
http://www.mcti.gov.br
https://www.youtube.com

Plutão, e o porque de ser um planeta anão ...

Plutão, é considerado um planeta anão, e ele faz parte do Sistema Solar, e sua localização é no Cinturão de Kuiper .

Seu nome foi dado em uma homenagem ao deus da mitologia romana. Plutão, Foi encontrado no ano de 1930 pelo astrônomo norte-americano Clyde Tombaugh.

Até ano de 2006, Plutão era considerado o nono planeta do Sistema Solar, mas no ano de 2006, ele foi rebaixado para planeta anão. 

A União Astronômica Internacional (UAI),  passou a classificar Plutão como um planeta anão. Isto aconteceu, após encontrarem mais corpos celestes, semelhantes ao tamanho de Plutão.


As exigências formais para o termo "planeta":

1. orbitar uma estrela, sem ser uma estrela;

2. ter massa suficiente para ter forma esférica (ou ter atingido o equilíbrio hidrostático, o que é a mesma coisa, com termos mais precisos);

3. ser o objeto dominante de sua órbita.

Plutão, atende aos dois primeiros critérios, mas como a sua órbita atravessa a órbita de Netuno, a terceira exigência não é atendida. Então foi aí que  Plutão deixou de ser um planeta, e foi rebaixado à planeta anão.

Particularidades de Plutão:

. tem um diâmetro equatorial de 2.284 km.

. sua área de superfície  é de 1,795×107 km².

. sua massa é de (1.305±0.007)×1022 kg.

. devido à distância do Sol (aproximadamente 6 bilhões/km), o planeta anão tem temperaturas bem baixas, sendo uma de -230°C na superfície.
. sua cor dominante é o marrom.

. possui cinco satélites naturais (luas), que são: Nix, Hidra, Cérbero, Estige e Caronte (a maior de todas)

. atmosfera de Plutão consiste em uma fina camada de nitrogênio, metano e gases de monóxido de carbono. Sua pressão de superfície é baixa.




Fique por dentro:

- No dia 14 de julho de 2015, a nave espacial New Horizons da Nasa, fez sua maior aproximação em Plutão, cerca de 12 472 km (7.750 milhas) acima da superfície do planeta anão. A primeira missão espacial a explorar o espaço tão longe.

. a distância entre o nosso planeta e Plutão, é de aproximadamente 4,3 bilhões/km.

. o planeta anão, leva 6 dias e 9 horas terrestres para dar uma volta em torno de seu eixo.

* Para saber a respeito de Plutão e a missão New Horizons, procure no Blog ZM.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://pt.wikipedia.org
http://www.uol.com.br
https://translate.google.com.br

Museu Olívio Otto...

O Museu da cidade de Carazinho, RS (Brasil), foi criado no ano 1957, por Olívio Otto, após um acidente de avião de seu filho. 

No ano de 1995 por um decreto municipal, passou a ser chamado Museu Regional Olívio Otto.

No Museu:
- o núcleo de história e cultura, tem o propósito da propagação de estudos na composição de exposições de longa duração, de temporárias e de itinerantes, sem fugir da sua raiz que é a história local.

- o núcleo de ciências naturais, em seu acervo, tem a representação da fauna, flora e minerais, pois são arquivos da biodiversidade local, assim faz um trabalho no desenvolvimento de ações educativas, e exposições de longa duração, de temporárias e de itinerantes.

Quem se interessar segue o endereço do Museu: 
Av. Flôres da Cunha, 2350 - Centro - Carazinho - RS (Brasil). 


*Agradecimento ao morador da cidade de Carazinho, o senhor Valdecir Silva, que nos enviou as imagens do acervo do Museu.

Fonte:
http://www.museuoliviootto.com.br

sexta-feira, 24 de julho de 2015

A silhueta de Plutão...

No início do mês, a nave New Horizons da Nasa, registrou imagens de Plutão, quando fez a maior aproximação, deixando os cientistas super animados.

"Nós sabíamos que uma missão a Plutão iria trazer algumas surpresas, e agora, 10 dias após a maior aproximação, podemos dizer que a nossa expectativa foi mais do que superada", falou John Grunsfeld, administrador associado da Nasa para a Diretoria de Missões Científicas. Continuou, "com gelos fluindo, química de superfície exótica, cordilheiras, e vasta neblina, Plutão está mostrando uma diversidade de geologia planetária que é realmente emocionante."

Depois de 7 horas da maior aproximação do planeta anão,  a nave faz a volta e captura luz solar que flui através da atmosfera, expondo uma neblina, a 130 km (80 milhas) da superfície do planeta. Fazendo uma silhueta linda de Plutão.

Uma observação prévia da imagem, demonstra duas camadas peculiar de neblina, uma aproximadamente 80 km (50 milhas) sobre à superfície, e a outra em uma altitude em torno de 50 km (30 milhas).

Alan Stern, investigador principal para New Horizons no Instituto de Pesquisa do Sudoeste (SwRI) em Boulder, Colorado - EUA, disse, "Meu queixo estava no chão quando vi esta primeira imagem de uma atmosfera estranha no Cinturão de Kuiper", e continuou, "ela nos lembra que a exploração traz-nos mais do que apenas descobertas incríveis, ela traz uma beleza incrível." 

As neblinas detectadas na imagem, são um elemento chave na criação de compostos de hidrocarbonetos complexos que dão superfície de Plutão sua tonalidade avermelhada", explicou Michael Summers, New Horizons co-investigador da Universidade George Mason em Fairfax, Virginia - EUA.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Nasa confirma exoplaneta semelhante a Terra...

A Missão Kepler da Nasa, anunciou um planeta que recebeu o nome de Kepler-452b, que é semelhante a Terra, onde pode ter água em estado líquido, o que o torna possivelmente habitável.

A Nasa, confirmou que esse planeta está em uma "zona habitável", ao redor de uma estrela parecida com o Sol, e a sua órbita é 385 dias.

O exoplaneta Kepler-452b, é  maior que o nosso planeta em 60% de diâmetro, e já é classificado como um planeta super-Terra-size. Apesar de sua massa e composição ainda não são precisas, mas os cientistas anteriores preconizam que planetas como Kepler-452b, tem boa possibilidade de serem rochosos.

A descoberta do planeta Kepler 452b, traz um número total de planetas confirmados para 1030.

A estrela de Kepler-452b, é 1,5 bilhão de anos mais velha do que o nosso Sol,  e possui a mesma temperatura, mas seu  tamanho é de 10% maior de diâmetro, e seu brilho é 20% a mais do que o nosso astro rei.

"Podemos pensar Kepler-452b como um mais velho, maior primo para a Terra, fornecendo uma oportunidade para entender e refletir sobre ambiente em evolução da Terra ", disse Jon Jenkins, Kepler, co-investigador análise de dados no Centro da Nasa, em  Ames Research, Moffett Field, na Califórnia, e liderou a equipe que descobriu Kepler-452b, continuou, "É inspiradora para considerar que este planeta gastou 6000 milhões anos na zona habitável de sua estrela; mais do que a Terra. Isso é oportunidade substancial para a vida a surgir, devem existir todos os ingredientes e as condições de vida necessárias neste planeta. "

Fonte:
http://www.nasa.gov
http://www.mirror.co.uk

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Esqueletos marcianos?...

Imagens capturadas pelo robô Curiosity da Nasa em Marte, chamou a atenção de um usuário do YouTube, que pegou e amplificou as imagens, fez um vídeo, e soltou na internet, aguçando a imaginação dos internautas.

As hipotéticas ossadas, estão envolvidas por poeira, que são perceptível na imagem, e na proximidade do local, também é possível ver o que aparenta ser uma cabeça, um tronco e braços pequenos. 

Uma outra forma branca, que parece ser da mesma textura, também é observada a alguns metros de distância.


A Nasa não fez qualquer comentário a respeito desse possível "esqueleto marciano".

A cientista e chefe Ellen Stofan, da Nasa, em abril de 2015, segundo o Los Angeles Times, falou, "Eu acredito que nós vamos ter fortes indícios de vida fora da Terra na próxima década e evidência definitiva nos próximos 10 a 20 anos".

Segundo a notícia do The Mirror, o físico Stephen William Hawking,  na tarde de 20 de julho de 2015, anunciou US$ 100 milhões garantido em direção a caça por vidas alienígenas. 

Em uma conferência em Londres, Stephen Hawking  disse,  "Nós acreditamos que a vida surgiu espontaneamente na Terra, assim, em um universo infinito, deve haver outras ocorrências de vidas".

Fonte:
http://www.mirror.co.uk
http://www.latimes.com
https://translate.google.com.br
https://www.youtube.com

terça-feira, 21 de julho de 2015

2014 foi o ano mais quente da Terra...

O nosso planeta avança no movimento, instituindo novos recordes, em relação ao aquecimento global, em diversos pontos, assim como, a elevação da temperatura da terra e do oceano, o nível do mar e gases de efeito estufa.

Foi feito um relatório por 413 cientistas de 58 países em torno do mundo, que fornece uma atualização detalhada sobre os indicadores globais do clima, eventos climáticos notáveis ​​e outros dados coletados pelas estações de monitoramento ambiental e instrumentos localizados em terra, água, gelo, e no espaço.

Indicadores climáticos do relatório mostram padrões, mudanças e tendências do sistema climático global. Esses indicadores, refletem frequentemente muitos milhares de medições de vários conjuntos de dados independentes.

Resumo dos principais dados do relatório:

- Gases de efeito estufa continuaram a subir, grandes concentrações de gases com efeito estufa, incluindo o dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, continuou a aumentar durante 2014, mais uma vez, atingindo valores históricos elevados.

- Temperaturas recordes observados perto da superfície da Terra, dados globais independentes mostraram que 2014 foi o ano mais quente já registrado. O calor foi generalizada em todas as áreas de terra.

- As temperaturas da superfície do mar foram recorde, a média global da temperatura da superfície do mar foi o maior já registrado.

- Conteúdo de calor do oceano foi superior e também foi recorde global, o conteúdo de calor dos oceanos superior atingiu um recorde para o ano, refletindo a contínua acumulação de energia térmica sob a camada superior dos oceanos. Os oceanos absorvem mais de 90 por cento do excesso de calor da Terra a partir do gás de efeito estufa.

- Nível global do mar foi recorde global, de nível médio do mar subiu para um recorde de alta em 2014.

- O Ártico continuou a aquecer; extensão do gelo marinho permaneceu baixa, o Ártico experimentou seu quarto ano mais quente desde que os registros começaram no início dos anos 20.

- A Antártida mostrou padrões de temperaturas altamente variáveis; extensão do gelo marinho atingiu recorde de alta: padrões de temperatura em toda a Antártida mostraram fortes padrões sazonais e regionais de condições mais quentes do que o normal e mais frios do que o normal, resultando em condições próximas da média para o ano para o continente como um todo.

- Os ciclones tropicais acima da média global: havia 91 ciclones tropicais em 2014, bem acima da média.

Fonte:
www.climate.gov (dados e reprodução de imagem)
http://www.noaanews.noaa.gov (dados)
https://translate.google.com.br
https://www.youtube.com/watch?v=ZxDdRKvC91M

segunda-feira, 20 de julho de 2015

A Teoria da Panspermia Cósmica...

Panspermia cósmica, pressupõe a hipótese de que em todo universo há vida, e que é, difundida, ou melhor dizendo, distribuída por meteoros, asteroides e meteoritos.

Essa teoria foi criada na Grécia no século V a.C., pelo filósofo Anaxágoras, que segundo ele, a vida no nosso planeta se formou devido micro-organismos e e elementos orgânicos, vindo do espaço, trazido por meteoritos.

Essa teoria voltou a ser destaque no século XIX, pelo médico e físico Hermann von Helmholtz, no ano de 1879. Atualmente, essa teoria da panspermia não tem confiabilidade junto aos cientistas, pois não apresenta justificativas sólidas.

Nos anos 80, um meteorito foi descoberto na Antártica, ele possuía um possível fóssil de uma bactéria, um evento que fundamentaria a panspermia, mas no entanto, a autenticidade deste acontecimento, jamais foi evidenciado.

Uma nova panspermia indica que um vírus pode ter vindo do espaço e evoluído por meio da junção de elementos genético de outros planetas.

Fonte:
http://www.grupoescolar.com
https://pt.wikipedia.org

domingo, 19 de julho de 2015

Asteroide passou próximo da Terra...

No dia 14 de julho de 2015, um asteroide, conhecido como 2011 UW158, passou próximo da Terra, à uma distância de 6,9 milhões km, ele foi captado pelo Observatório de Arecibo, em Porto Rico, que possui o maior radiotelescópio fixo do mundo.

O asteroide 2011 UW158,  possui uma estrutura incomum, e uma ampla velocidade de rotação, que seria uma rotação completa a cada 37 minutos,  que deixou os cientistas apreensivos.

"Seu tamanho, forma e rotação sugere que existe algo mais que a gravidade mantendo este objeto unido, se não o asteroide já teria se partido, devido a sua rotação tão rápida", avaliou o astrônomo Patrick Taylor, cientista do Departamento de Estudos Planetários e chefe destas observações.

"Muitos dos asteroides observados até o momento aparentam ser várias pedras pequenas fragilmente unidas pela gravidade", informou o Observatório de Arecibo em comunicado, no dia 17 de julho de 2015.

"O asteroide 2011 UW158, tem uma forma estranha, como a de uma noz sem casca, com um diâmetro de 300 por 600 metros, quase o dobro do tamanho da antena parabólica de nosso radiotelescópio", que tem 305 metros de diâmetro, esclareceu o porta-voz observatório.

Uma das hipóteses é que seja possível, que este asteroide possua uma estrutura de um só corpo e sólido.

"Era esperado que algo tão grande tivesse sido transformado em pequenos pedaços pelas colisões com outros asteroides ao longo do tempo no Sistema Solar. É interessante que algo tão grande e aparentemente sólido ainda exista", expôs o astrônomo Taylor.

Segundo o cientista, o asteroide 2011 UW158, voltará a passar nas proximidades da Terra no ano de 2018, sem causar nenhum perigo.

"Estas observações fornecem pistas para saber quantos asteroides se formam e mudam com o passar o tempo", complementou o cientista Edgard Rivera Valentín, integrante do Departamento de Estudos Planetários e do grupo de observações.


O Radiotelescópio de Arecibo é o maior radiotelescópio fixo do mundo, e localiza-se em Arecibo, Porto Rico. Sua antena parabólica gigante tem 305 metros de diâmetro e foi construída originalmente em 1963, na cratera de um vulcão extinto, para estudar a ionosfera terrestre. 
Ele é operado pela Universidade Metropolitana in Puerto Rico (EUA) e é atualmente a principal ferramenta na busca de vida extraterrestre, através do projeto SETI@home.

Fonte:
http://noticias.uol.com.br
https://pt.wikipedia.org

Plutão sendo desvendado no dia a dia...

O planeta anão, de acordo com as imagens enviadas pela New Horizon, possui um diâmetro de 2.370 km, antes era dado com um diâmetro de 3.268 km, pode parecer quase nada, mas faz a diferença na sua densidade.

As novas imagens revelam uma cadeia de montanhas gigante, com picos chegando a 3.500 metros de distância da superfície de Plutão.

Na região em formato de coração, que está sendo chamada de "Região Tombaugh", há uma grande planície congelada.

"Não é uma zona fácil a desvendar", falou Jeffrey Moore, um dos cientistas da missão. "Não vemos os impactos de crateras recentes e a superfície desta zona é bem recente, menos de 100 milhões de anos. Ela provavelmente ainda está sendo trabalhada pelo processo geológico".
"A descoberta desta vasta planície bastante jovem, sem aparentes impactos de crateras sobre Plutão, superou todas as nossas expectativas", complementou o cientista.

A atmosfera do planeta anão, é formada principalmente por nitrogênio, escapa de Plutão por sua baixa gravidade num ritmo forte, "aproximadamente de 500 toneladas por hora", segundo Fran Bagenal, uma das cientistas da missão. Ela falou que anseia em melhorar seu parecer e absorver melhor o andamento com novos elementos enviados pela New Horizon.

Jeffrey Moore, explicou, "Embora as imagens sejam extraordinárias, nós ainda estamos no início das investigações, ainda estamos diante de um grande número de hipóteses e sabemos que é um perigo tirarmos qualquer conclusão definitiva neste momento".


Fonte:
https://br.noticias.yahoo.com
http://ciencia.estadao.com.br
http://www.nasa.gov

Uma "pequena Era glacial", será?...

A cientista Valentina Zharkova, apresentou um estudo no Encontro Nacional de Astronomia, em Llandudno, no País de Gales, e publicados pela Sociedade Real de Astronômica.
E segundo a cientista, as atividades do Sol estão diminuindo.

Entenda:

Um trabalho desenvolvido pela cientista Zharkova, é eficaz em analisar com maior clareza, os ciclos do Sol, que deverão diminuir para menos da metade entre as décadas de 2030 e 2040.

Tudo indica que a atividade solar acontece por um sistema alta potência de fluídos no interior da estrela. A cientista e seu grupo, encontraram ondas magnéticas que pairam em duas camadas do Sol e, ao analisar os elementos das duplas ondas, as estimativas, se tornaram muito mais precisas, por volta de 97%; segundo o estudo da cientista Valentina Zharkova.

E se as previsões da cientista estiverem certas, com a diminuição dos ciclos solares, a Terra vivenciará uma "pequena era glacial" ou se preferir, o Mínimo de Maunder (tempo em que as manchas solares são raras).

Entre 1645 e 1715, ocorreu o Mínimo de Maunder, foi um período em que as temperaturas ficaram abaixo da média em toda a Europa, e também houve o congelamento de rios na Europa e América do Norte.
As manchas solares entre essas décadas, tiveram registros, cerca de 50, sendo que o normal é de 40 mil manchas solares.

Em 1843, os cientistas descobriram que a atividade do Sol se diversifica, porque os fluidos no interior do Sol criam ciclos a cada 11 anos, entre seus picos de atividade mínima e máxima.
As mudanças no total de radiação solar recebida pelo nosso planeta dentro deste período, se tornam difíceis de serem diagnosticadas.


Aquecimento global:

O que está acontecendo com a Terra, devido o aquecimento global, podemos nos sentir seguro, pois uma pequena era glacial, está descartada.

O permafrost do Ártico está se desintegrando, o gelo oceânico Ártico está derretendo e o manto de gelo da Groenlândia está perdendo gelo num ritmo acelerado.

O que se pode dizer que o aquecimento global, impossibilitará uma "pequena era glacial".


Fonte:
http://oglobo.globo.com
http://www.noticiasatual.com.br
https://pt.wikipedia.org

sábado, 18 de julho de 2015

Hoje no céu...

Ângulo da Lua, Vênus, Júpiter e a estrela Regulus, será o evento astronômico dessa noite, e não será necessário nenhum tipo de equipamento para serem vistos, podem ser observados a olho nu. Será após o pôr do sol, às 18h no horário de Brasília.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org
http://www.ibahia.com


Astrônomos brasileiros encontram planeta parecido com Júpiter...

Um grupo de astrônomos brasileiros da Universidade de São Paulo (USP), juntamente com cientistas dos Estados Unidos, da Austrália e da Alemanha, encontraram um planeta extrassolar que é parecido ("gêmeo") com o planeta Júpiter, e fica na órbita de uma estrela semelhante com o Sol.

O nome provisório desse recente planeta descoberto, é HIP 11915, e sua descoberta foi anunciada no dia 15 de julho de 2015, e a data de seu descobrimento foi em dezembro de 2014, através do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, por um grupo de 10 astrônomos de quatro nacionalidades diferentes, e liderados pela equipe do peruano Jorge Melendez, professor de astronomia da USP.

O HIP 11915, orbita uma estrela com as mesmas características do nosso astro rei, e fica em uma distância de 57 anos-luz do nosso planeta. Ele praticamente tem a mesma distância em relação à estrela, que Júpiter tem em relação ao Sol. Outra semelhança é a massa, a quantidade de matéria, do planeta descoberto: praticamente semelhante a de Júpiter.

“É um projeto de 88 noites, onde a gente tem que ir observar as montanhas no Chile a cada três meses, durante quatro anos. Um projeto que requer muita paciência, muito esforço, mas a gente está muito contente com os resultados finais, que levaram a descoberta de um planeta Júpiter e provavelmente um sistema planetário muito similar ao nosso sistema solar”, expõe, o professor Jorge Melendez.

O professor Mendez pressupõe, “No futuro, quando a gente tiver acesso a instrumentos com maior projeção, teremos a capacidade de tentar detectar um gêmeo da Terra”

Fonte:
http://g1.globo.com
http://oglobo.globo.com

O nosso astro rei de cor azul...

Desde o dia 24 de março de 2015, espaçonave Stereo-A (Solar Terrestrial Relations Observatory Ahead) da Nasa, tem estado no lado mais afastado do sol.

O equipamento que captura imagens em vários comprimentos de onda de luz não visíveis a olho nu, fez várias imagens do nosso astro rei, e registrou a tonalidade azul com pontos brancos demonstrando cintilação.

A tomada dessa imagem pelo dispositivo, em comprimentos de onda de 171 angstroms, que usualmente se concretizam em tonalidades azuladas.

Em 11 de Julho de 2015, ou seja, após aproximadamente 3 meses, é que chegaram  as primeiras imagens enviadas da sonda, isto porque o modo de segurança estava acionado, devido a geometria (*) entre a Terra, o Sol, e a Stereo-A.

(*) A Stereo-A, orbita o Sol, assim como a Terra (Translação), porém em uma órbita levemente menor e mais acelerada.

Fonte:
https://br.noticias.yahoo.com

quinta-feira, 16 de julho de 2015

New Horizons com imagens de Plutão...

Depois de quase 10 anos, em uma viagem de aproximadamente 5 bilhões km do nosso planeta, a nave New Horizons, envia imagens, tanto do planeta anão Plutão, quanto de seus satélites, como nunca tinham sido observados antes, com muita riqueza de detalhes.

Mas não vai para por aí, pois ainda vai mais de 01 ano para transmitir muitas e novas informações e imagens.


Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Detalhes de Caronte, a maior lua de Plutão...

A New Horizons (Long Range Reconnaissance Imager -Lorri), capturou imagem da lua Caronte, no dia 13 de julho de 2015, em uma distância de 466 mil km (289 mil milhas) e  na qual forneceu vários e novos detalhes.

Siga na imagem da lua Caronte:

Da esquerda para a direita, uma faixa de penhascos e vales se estende a cerca 1 mil km (600 milhas),
o que insinua que houve uma ruptura geral da crosta de Caronte, possivelmente por consequência de causas internas.

No canto superior direito, ao longo na borda da lua, é um canyon, com aproximadamente de 7 a 9 km (4 a 6 milhas) de profundidade.

A falta de cratera na lua Caronte, surpreendeu os cientistas da missão, pois há poucas crateras, no que indica de que a superfície, por comparação é jovem, sendo formada  por movimentos geológicos.

Na parte inferior, Sul do Equador da lua, a superfície é iluminada por raios transversais do Sol, formando sombra, que é fácil de distinguir a topografia.

Na região polar norte da lua, dá a impressão que há um registro de uma fina de camada escura, mas ainda está indefinido, quando for recebido novas imagens, com maior claridade, poderá ser desvendado esse local misterioso.


"A imagem foi compactado para reduzir o tamanho do arquivo para transmissão para a Terra. Em áreas de alto contraste da imagem, características tão pequeno como 3 milhas (5 km) em frente pode ser visto. Alguns detalhes de menor contraste é obscurecida pela compressão da imagem, o que pode tornar algumas áreas pareçam mais suaves do que realmente são. A versão descompactada ainda reside na memória do computador New Horizons "e está programado para ser transmitido em uma data posterior", Nasa.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

terça-feira, 14 de julho de 2015

A nave New Horizons está fazendo sua parte...

Depois de quase 10 anos passando pelo nosso sistema solar, a nave New Horizons fez sua maior aproximação em Plutão no dia de hoje 14 de julho de 2015 (terça feira), cerca de 12 472 km (7.750 milhas) acima da superfície do planeta anão. A primeira missão espacial a explorar o espaço tão longe.

Como era esperado, a nave espacial está atualmente em modo de coleta de dados e não em contato com os controladores de voo da Universidade Johns Hopkins Laboratório de Física Aplicada (APL), em Laurel, Maryland.

Os cientistas estão esperando para descobrir se New Horizons "telefones casa", transmitindo para a Terra uma série de atualizações de status que indicam a nave espacial sobreviveu ao voo rasante e está tudo bem com ela. A "chamada" é esperado logo após 21:00 EDT hoje à noite.

"Hoje, a ciência assume um grande salto observando o sistema Plutão de perto e voando em uma nova fronteira que vai nos ajudar a entender melhor as origens do sistema solar. " falou, John Grunsfeld, administrador associado para a Ciência Missão Direção da NASA em Washington (EUA).


"Depois de quase 15 anos de planejamento, construção e voo da espaçonave New Horizons em todo o sistema solar, nós alcançamos o nosso objetivo", disse o gerente de projeto Glen Fonte na APL. "A recompensa do que temos recolhido está prestes a acontecer."

*Pra saber sobre a missão New Horizons, desde o começo, leia no blog ZM. do dia 
6 de junho de 2015.

Fonte:
http://www.nasa.gov (Reportagem e imagem)
https://translate.google.com.br

O que são chuvas de meteoros...

São fenômenos periódicos anuais, que acontecem, quando a Terra cruza a órbita de um cometa.

Numa chuva de meteoros, os detritos geralmente são resultado de interações de um cometa com a Terra, em que os resíduos (poeira e gelo) do cometa é desprendido de sua órbita, e entram na atmosfera terrestre em uma velocidade bem alta, e essa velocidade atinge aproximadamente, de 15 a 70 km por segundo, os detritos quando atingem a atmosfera do nosso planeta, entram em combustão, formando os meteoros, ou as conhecidas estrelas cadentes.

A maior parte dos meteoros são menores do que um grão de areia e por isso quase sempre se desintegram e não atingem a superfície do planeta.

Chuvas intensas e incomuns de meteoros são também chamadas de surtos ou tempestades de meteoros, nas quais são vistos mais de mil meteoros por hora.

As chuvas de meteoros mais conhecidas e as mais intensas, são as Leônidas e as Perseidas.

Qualquer planeta do sistema solar com uma atmosfera razoavelmente transparente pode ter chuva de meteoros.

O planeta Marte é conhecido por ter chuvas de meteoros, que acontecem com intensidade e características diferentes das da Terra.

Giovanni Schiaparelli, um astrônomo italiano, que no ano de 1862, notou que o episódio da chuva de meteoros Perseidas coincidia com a órbita do cometa Swift-Tuttle.

Depois de ter evidenciado essa ligação, o astrônomo chegou a dedução de que os cometas produzem um rastro de poeiras e gelos, que são os geradores das chuvas de meteoros.

Assim ficou relacionados, os cometas, com as chuvas de meteoros.


*Para observar a chuva de meteoro:

Em geral esses fenômenos ocorrem na madrugada dos dias previstos pelos astrônomos.

Você precisa de um céu escuro, que seja longe da poluição luzes das cidades.

Muitas vezes pode ser visto a olho nu, ou de binóculos.

E torcer para o céu não estar nublado.

Fonte:
http://noticias.terra.com.br
http://www.on.br
https://pt.wikipedia.org
https://www.google.com.br (Reprodução / Imagem)

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Lago enigmático surge no Saara...

No mês de julho de 2014, pastores que moram na região, descobriram um lago surgiu de repente no meio do deserto, a 25 km da cidade de Gafsa, na Tunísia.

O lago que surgiu inesperadamente, foi no meio do deserto do Saara, em uma região, onde antes só havia areia, rochas e cascalho, assim informou o jornal britânico The Guardian.

No começo, o lago tinha sua coloração azul, mas com o decorrer do tempo, a coloração da água passou a ser verde, e com uma enorme existência de algas, causando uma incerteza sobre uma possível contaminação da água, segundo publicou o jornal Daily Mail.

Para os moradores, uma região que tem um calor de 40 ºC, o desejo de se refrescar na água, supera todos os receios desse lago enigmático.

O lago passou a ser conhecido na região, como a "praia de Gafsa".

Ainda não houve nenhuma justificativa que pudesse esclarecer o surgimento do lago, mas a teoria mais bem aceita, é que o lago surgiu, depois de um abalo sísmico, que teria aberto uma fenda no leito rochoso. A água sob pressão teria então subido de algum lençol subterrâneo.

A secretária da Segurança Pública de Gafsa, divulgou uma nota para as comunidades locais, alertando que o lago não é seguro e que não está apto para o mergulho; mas para os moradores da região, essa informação não teve muito efeito, pois continuaram os mergulhos na "praia de Gafsa", ou melhor dizendo, no lago enigmático.


Fonte:
http://exame.abril.com.br
http://www.dailymail.co.uk
http://www.theguardian.com

domingo, 12 de julho de 2015

Som do Sol...

A Nasa captou o som do nosso astro rei .


Fonte:
https://www.youtube.com
http://www.nasa.gov

Nova espécie de dinossauro...

Um grupo de cientistas descobriram em uma área de Alberta (uma das dez províncias do Canadá), ossadas de dinossauros com chifres, que estavam enterradas com aproximadamente 79 milhões de anos.


O grupo de cientistas canadenses, informaram que os ossos são de uma nova espécie, e está ligados com os triceratops icônicos. O novo dinossauro, foi nomeado Wendiceratops pinhornensis, e é um dos mais antigos dinossauros com chifres até agora conhecidos.

Sua característica distintiva é um babado altamente decorado em torno de seu pescoço, diz o paleontólogo David Evans do Museu Real de Ontário.

"O babado é uma espécie de ornamentada por uma onda espetacular de ganchos retorcidas que se projetam para a frente", falou o paleontólogo David Evans.

"O dinossauro com chifres, com os maiores chifres pode ter sido capaz de superar a concorrência de seus rivais para controlar a maior harém para fins de reprodução", paleontólogo Michael Ryan, do Museu de História Natural de Cleveland, disse para National Public Radio (NPR). 

Os chifres do Wendiceratops revela a ascendência precoce dos Triceratops e da evolução do chifre no nariz que define ambas as espécies de dinossauros.

Mesmo com todas as descobertas, o Wendiceratops é mais velho do que Triceratops, mas os paleontólogos acreditam que Triceratops continuará a ser o dinossauro com chifres mais conhecido, apesar de ser "realmente um dinossauro com chifres relativamente chato em muitos aspectos", disse David Evans.


Os paleontólogos Michael Ryan e David Evans, escreveram um artigo a na revista PLOS ONE.

Fonte:
http://time.com
http://www.newsweek.com
http://www.npr.org
https://translate.google.com.br

Placa de condecoração do Titanic...

A placa de condecoração do navio Titanic, surgiu após 100 anos de ter sido entregue em uma homenagem um dia antes da partida do navio.

O presidente da Royal Mail Steamship Union, conferiu a honraria ao Lord Williams James Pirrie, que na ocasião era presidente dos estaleiros Harland and Wolff, que construiu o Titanic. Essa homenagem foi em 9 de abril de 1912, na Câmara Municipal de Southampton, no Reino Unido.

Após a homenagem, a placa foi levada para o escritório do presidente do estaleiro, essa a partir desse dia, não se teve mais nenhum informação a respeito da placa.

Há doze anos atrás, um senhor de origem britânica, ofertou a placa a um marchand de Barcelona (Espanha).

"O homem trouxe a placa para um comerciante de arte em Barcelona, em um saco plástico e tentou vendê-la", o presidente da Fundação Titanic Jesus Ferreiro disse, "Nenhum deles sabiam o que era, então naturalmente o comerciante não quis. Ele não tinha ideia que tinha um enorme valor ".
O neto do marchand Leo Lorenzo Sancho, e fã do Titanic, estava presente nesse dia, acabou comprando a placa para "decorar sua sala".

Leo Lorenzo Sancho, na atualidade é dono de uma loja de arte na cidade de Granada, na Espanha, concedeu a placa para a exposição da Fundação Titanic. Apesar de grandes ofertas de dinheiro feitas ao proprietário da placa, por enquanto ele não tem nenhuma intensão de vendê-la.

A placa:

- Fundida em bronze e prata, a placa mede 28,5 centímetros por 37 e pesa 1,8 quilo. Na parte inferior, ela tem uma luz interna que ilumina uma pequena janela, na qual a imagem do Titanic aparece.

- A placa ainda mantém sua lâmpada e sua fiação originais, o que significa que passou mais de cem anos guardada, sem ser utilizada.

- Há uma inscrição: "The Queen of the ocean", em inglês, "A rainha do oceano", em português.

- A data da partida do navio, 10 de abril de 1912, a partir de Southampton, Inglaterra, para Nova York, EUA.

A exposição sobre o navio Titanic, organizada pela Fundação Titanic, é na cidade de Granada, na Espanha. A instituição ficará com a placa durante a exposição, que se encerra em janeiro de 2016.

"Eu vi dezenas de objetos que as pessoas dizem que são do Titanic, colheres, garfos, fotografias. Mas a maioria são apenas a partir desse período de tempo, não a partir do próprio navio," disse Ferreiro. "Mas com essa placa, quando eu vi , eu tenho a sensação de que eu nunca tinha visto algo assim antes. "

A fundação consultou peritos, que estão ainda para confirmar a autenticidade da relíquia, acrescentou.

*A placa nunca foi a bordo do navio Titanic.
 

*Para saber a respeito da história do Titanic, leia no blog ZM. 24 de novembro de 2014 - Titanic.

Fonte:
http://rt.com
https://translate.google.com.br
http://www.fundaciontitanic.com

sábado, 11 de julho de 2015

Nasa lança site para explorar Marte...

O site que a Nasa lançou é muito interessante, nele você navega explorando o planeta vermelho, se chama Mars Trek, é bem parecido com Google Earth.


Você pode acessar pelo seu navegador ou pelo seu celular, e explorar a superfície de Marte, e ver as crateras, e saber os diâmetros. Tudo isso graças as missões realizadas pela Nasa.

Você vai poder ver em 2D ou 3D, com zoom e ter acesso explicativos das missões, há muitas ferramentas para que você possa explorar, e também há download de arquivos disponíveis, que poderá ser imprimidos modelos tridimensionais, usando uma impressora em 3D.


Fonte:
http://marstrek.jpl.nasa.gov
https://twitter.com

Tempestade super-célula no Paraná...

O Sistema Meteorológico do Paraná - SIMEPAR, localizado no  Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná, classificou a tempestade que se formou a noroeste do estado do Paraná (Brasil), no dia 10 de julho de 2015, por volta das 17h40, como super-célula, que foi registrada por moradores da região.

De acordo com meteorologista Reinaldo Kneib, a grande tempestade está relacionada com rajadas de vento fortes que ultrapassam os 55 km/h e queda de granizo, e o formato circular da nuvem é provocado pela rotação circular do ar dentro da nuvem.

“Algumas vezes, esse tipo de tempestade pode gerar um tornado também, porém, só com confirmação visual é possível garantir que houve essa formação”, explica  Reinaldo Kneib.

Um morador da cidade de Terra Rica, relatou que a nuvem foi "andando" e seguiu para outra cidade, sem causar nenhum prejuízo. 

Na cidade Paranavaí, uma moradora relata que ventou muito e que parecia que não ia chover, mas depois de duas horas caiu granizo, que fez estragos em horta, plantações e no telhado da residência. 

Segundo a Defesa Civil, chuva que caiu na sexta feira, dia 10 de julho de 2015, que atingiu as regiões norte e noroeste do estado do Paraná, causou infortúnio no mínimo a 960 pessoas, em 11 municípios do estado.

O município mais afetado do estado, foi a cidade de Janiópolis, no centro-oeste do estado do Paraná, que teve aproximadamente 200 casas prejudicadas.

Ao noroeste do estado, na cidade de Rondon, houve muitos destelhamento, e até hoje pela manhã, a energia elétrica ainda não havia sido restabelecida. Nas cidades de Nova Londrina e Araruana, também houve prejuízos com os granizos.

Fonte:
http://g1.globo.com

Região vulcânica em Marte...

A maior região vulcânica em Marte, se chama Tharsis Montes, tem uma área de aproximadamente de 4.000 km de diâmetro, a 10 km de altura.

Tharsis Montes, possui 12 grandes vulcões, mas os maiores vulcões que chamam a atenção são quatro, que receberam o nome de: Ascraeus Mons, Mons Pavonis, Arsia Mons e Olympus Mons.


Para se ter uma ideia da diferença de tamanho entre aos vulcões de Marte em relação aos vulcões da Terra, é que os vulcões da região de Tharsis em Marte, são de 10 a 100 vezes maiores do que qualquer vulcão que possa ter no nosso planeta.

As razões que levam aos vulcões em Martes serem maiores do que os da Terra, são:

- Os fluxos de lava na superfície marciana resultam em  taxas de erupção mais elevados e menor gravidade de superfície.

- A crosta de Marte não se move, ela permanece imóvel, e a lava se acumula em um único grande vulcão. No nosso planeta, os pontos quentes permanecem imóvel, mas as placas da crosta estão se movendo acima deles.  

Fonte:
http://mars.jpl.nasa.gov
https://translate.google.com.br

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Imagem de Plutão mostra um coração...

A nave New Horizons da Nasa, está cada vez mais se aproximando de Plutão, e está pronta para dar o sobrevoo que se tornará lendário no dia 14 de julho de 2015, a bordagem mais próxima será uma distância aproximada de 12.500 quilômetros ( 7.750 milhas).

No dia 07 de julho de 2015, a New Horizons, rumo ao planeta anão, enviou uma imagem extraordinária, e com mais detalhes do que tivemos vistos até agora.

A imagem, mostra que no lado direito do planeta anão, há uma área brilhante em formato de coração. Segundo a Nasa, a proporção do tamanho da área que tem o formato de coração, é de 2.000 km (1.200 milhas) de diâmetro, e possivelmente essa área é coberta com uma geada de metano congelado, nitrogênio e, ou monóxido de carbono.

Para se ter essa imagem que a nave capturou, levou nove anos e 4,8 bilhões de quilômetros (três bilhões milhas).

"A próxima vez que ver esta parte de Plutão em maior aproximação, uma parte desta região vai ser trabalhada em cerca de 500 vezes melhor resolução do que vemos hoje", disse Jeff Moore, um líder de equipe no Centro de Pesquisa Ames da Nasa, e exclamou, "Vai ser incrível!".

A nave New Horizons, está munida de combustível extra, onde se espera que ela depois de passar por Plutão, ela saia para Cinturão de Kuiper.

New Horizons, está dotada de central de comunicação à longa distância, que vai contribuir com o retorno das informações de lugares extremos do Sistema Solar.

Na imagem de Plutão, em sua extremidade, há uma área escura alongada ao longo do equador de Plutão, já nomeada de "a baleia".

Fonte:
http://www.mirror.co.uk
http://apod.nasa.gov

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Filhote de pinguim robô...

O ecofisiologista Yvon Le Maho, da Universidade de Estrasburgo, na França, coordenou cientistas e documentaristas, em um estudo e monitoramento dos pinguins-imperadores.

Os pinguins-imperadores, são tímidos, quando se tenta se aproximar deles, eles se afastam e os batimentos cardíacos ficam acelerados, devido ao estresse da aproximação, esse tipo de situação impossibilita o acompanhamento real do comportamento e da saúde deles.

Por isso, o ecofisiologista Yvon e sua equipe de cientistas, desenvolveram um robô, com as características de um pinguim filhote, que é guiado por controlo remoto, e permite aproximação com os tímidos pinguins, e o monitoramento à distância deles.


O pinguim-robô, foi bem aceito pelo grupo, que o saudaram com um 'canto' tipico dessa espécie, isso foi detectado pelo próprio pinguim-robô.

Sendo assim, o monitoramento e estudo sobre os pinguins-imperadores, ficou melhor, deixando os pinguins tranquilos e a leitura das etiquetas que estão implantadas por baixo da pele deles, podem ser lidas, sem causar estresse à esta espécie.

"Quando o robô foi camuflado como um pinguim, todos os adultos e filhotes de Imperadores permitiram que se aproximasse o suficiente para a identificação eletrônica", afirmaram os cientistas.

Esse estudo científico, foi publicado na revista Nature Methods, no ano de 2014.

Fonte:
http://exame.abril.com.br
http://noticias.uol.com.br
http://www.bbc.com

A empresa Rocket Lab. fará Nova Zelândia entrar para a era espacial...

A empresa Rocket Lab. anunciou que vai ser a primeira empresa privada a construir e operar um local de lançamento privado de foguete orbital.


A região será em Kaitorete Spit na região de Canterbury da ilha sul da Nova Zelândia, um local que em 1960 a Nasa usava para lançamentos foguetes suborbitais.

Sr. Peter Beck, chefe executivo oficial da empresa Rocket Lab., explicou que a localização da Nova Zelândia oferece vantagens técnicas, logísticas e econômicas, pois oferece a capacidade de colocar satélites em uma ampla variedades de posições orbitais.

A empresa planeja uma média de 100 lançamentos ao ano, e a  posição da Nova Zelândia na Terra, aparentemente oferece a melhor variedade de ângulos de lançamentos para alcançar esse objetivo.

"Criar e utilizar o nosso próprio local de lançamento é uma necessidade para atender a demanda crescente de clientes", falou, Sr. Peter Beck.

O sistema de lançamento de foguete Lab, é desenvolvido para uma pequena carga útil de até 100 kg; a empresa espera que essa instalação, possa permitir um lançamento de baixo custo de apenas US$ 5 milhões. 

Fonte:
http://www.rocketlabusa.com
https://translate.google.com.br
http://science.slashdot.org

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Seriam três OVNIs?...

Na semana passada, a Estação Espacial Internacional estava ao vivo, quando foi inesperadamente interrompida, no exato momento quando mostrou uma imagem borrada onde parecia ser três OVNIs, deixando a atmosfera do nosso planeta e voando em direção ao espaço.

Logo após a interrupção, veio uma mensagem:

"Por favor, aguarde. O High Definition Terra Visualizando experimento é ou ligando câmaras, ou estamos vivenciando uma perda temporária do sinal com a Estação Espacial Internacional."


Essa não foi a primeira vez que acontece, já existiram vários fatos em relação a avistamento de objetos não identificados nas proximidades da EEI.

A Nasa não fez comentário nenhum a respeito desse vídeo, e também nunca afirmou existência de extraterrestres, mas à procura por alguma de vida fora da Terra, tem sido um interesse da Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço (NASA). Leia no blog ZM., Nasa procurando por vidas..., no dia 18 de junho de 2015.


Fonte:
https://www.youtube.com

terça-feira, 7 de julho de 2015

Marés vermelhas...

É um fenômeno natural, que acontece quando um inesperado acúmulo de algas se proliferam e liberam toxinas, especialmente as dinoflageladas gonyaulax catenella.

Devido a esse fenômeno, a pigmentação na água, demonstra uma coloração avermelhada,

A proliferação das algas, ocorre devido mudança da salinidade, oscilação térmica da água, e uma das principais causas, é o exagero de sais minerais, que vem pelo escoamento dos esgotos domésticos.

Esse desiquilíbrio ecológico, afeta a fauna aquática, levando a morte de peixes, moluscos e mamíferos marinhos, e também chegam a afetas as aves.

Alguns casos, até mesmo os seres humanos poderão ser afetados com as toxinas ingeridas no hábito alimentar, aí poderão apresentar diarreia, problemas respiratórios e circulatórios.


*Ler no blog ZM.,  a respeito do escoamento de esgoto, no dia 11 de maio de 2015: Você sabe o que é Eutrofização?

Fonte:
https://www.google.com.br (imagem)
https://pt.wikipedia.org
http://www.abril.com.br

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Missão New Horizons da Nasa, segue seu objetivo...

No dia 04 de julho de 2015, a New Horizons da Nasa, apresentou uma falha; a nave entrou no "modo de segurança", quando estava em operação de preparação para o momento do rasante, a investigação realizada descartou problema de hardware ou software, mas concluíram que a falha foi no timing de comando da nave.
Sendo assim, tudo se resolveu e a Missão New Horizons, retomou suas operações científicas normalmente. Não há operações parecidas esperadas até o momento da nave se encontrar com Plutão.

"Estou satisfeito que a nossa equipe de missão, rapidamente identificaram o problema que garantiu a saúde da nave espacial", disse Jim Green, diretor de Ciência Planetária da Nasa. "Agora, com Plutão em nossa mira, estamos na iminência de voltar ao funcionamento normal e indo para o ouro."

Está tudo preparado para retomar as operações originais já planejadas para o dia 07 de julho de 2015, e assim fazer toda sequência de rasantes, como já é esperado.

A equipe de cientistas da investigação que foi realizada, chegaram a conclusão que a falha não causou maiores problemas, e não afeta objetivos primários da missão, e com efeitos mínimos para objetivos menores.

"Em termos de ciência, isso não vai mudar um A-plus, mesmo em um A", falou, Alan Stern do Instituto de Pesquisa Southwest, em Boulder, Colorado (EUA), e Investigador Principal da New Horizons.

A New Horizons, está a quase 3 milhões de milhas (4828.032 km) de distância. A comunicação bidirecional entre a nave e seus operadores requer uma viagem de nove horas.

Fonte:
http://www.nasa.gov
https://translate.google.com.br

domingo, 5 de julho de 2015

Foto final...

Chris Hadfield, postou uma fotografia no twitter, que ele tirou da Terra na Estação Espacial Internacional, no dia 13 de maio de 2013, com os seguintes dizeres: "Foto final da viagem espacial"... "Para alguns pode parecer um por do sol, mas é um novo alvorecer".


Chris Austin Hadfield é um ex-astronauta canadense, o primeiro astronauta do Canadá, a fazer uma viagem espacial, e a comandar uma expedição na Estação Espacial Internacional, em 19 de dezembro de 2012 (dia do lançamento), e seu retorno a Terra foi em 14 de maio de 2013.

Fonte:
https://twitter.com/Cmdr_Hadfield
https://pt.wikipedia.org

Uma casa que ajuda aguentar o frio e o calor, e enfrenta terremoto...

Essa casa é circular, e tem um formato de cúpula, e o melhor é que ela é giratória, pois no frio, você girar para o lado onde está o Sol, e no calor, girar para a sombra.

É uma casa ecologicamente correta, pois possui painéis solares integrados (opcionais) para armazenar energia, bem como várias opções ecológicas possíveis para uma melhor eficácia energética, e suas madeiras são 100% ecológicas, e aprovadas pelos órgãos competentes.


Sua forma aerodinâmica, foi comprovada quando resistiu ao Ciclone Tim, em Taiwan, no ano de 1994. 
A casa resiste a ventos de até 240 km/h, e também a terremotos de até 8 na escala Richter, isso porque, ela é erguida sobre uma correia elastomérica que funciona como um "bloco silenciador", seria  como um pedaço de borracha que faz as  vibrações serem abafadas, os arcos estão solidamente ancorados à uma engrenagem de anel de puro aço, e fixado a um suporte feito de concreto reforçado.

A casa foi projetada pelos arquitetos franceses da empresa Eco - Solaleya, e o seu designer, feito por Patrick Marsilli.

Dependendo do projeto de uma casa, o seu valor de  mercado, chega perto de um milhão de dólares.

Fonte:
http://www.solaleya.com
https://www.youtube.com
https://translate.google.com.br

Um pequeno descanso durante o voo...

O fotógrafo amador, Phoo Chan, registrou com sua câmera fotográfica, o exato momento em que um corvo aparenta fazer um descanso sobre as costas de uma águia. Esse flagrante ocorreu na cidade de Seabeck, que fica no condado de Kitsap, em Washington (EUA).

Phoo Chan, relatou para o jornal Daily Mail, que estava fotografando a águia-de-cabeça-branca, quando observou a aproximação do corvo.

"De início, eu pensei que o corvo estava indo afugentar a águia", contou Phoo Chan, e continuou falando, "Eu fiquei completamente surpreso em ver o corvo realmente pousar na parte de trás da águia voando".

O que mais o surpreendeu, foi pelo fato da águia continuar o seu voo, e não se importar com o corvo sem suas costas.

"Depois, o corvo voou para longe e a águia continuou a caçar o café da manhã", disse o fotografo e continuou relatando, "Os dois voaram em diferentes direções e pareceu que se tornaram amigos. Você precisa estar no lugar certo e na hora certa, quando isso acontece".

Fonte:
http://www.uol.com.br
http://www.dailymail.co.uk

sábado, 4 de julho de 2015

Nave cargueira decolou...

No dia 03 de julho de 2015, as 7h55' (horário de Moscou), o foguete russo Soyuz-U, teve seu lançamento na plataforma de lançamento Baikonur, no Cazaquistão, e colocou em órbita a nave cargueira Progress M-28M, com o destino a Estação Espacial Internacional (EEI).

A nave deve atracar no dia 04 de junho de 2015 (domingo) na EEI, que está ocupada na atualidade pelos astronautas russos, Gennady Padalka,e Mikhail Kornienko e, pelo astronauta norte-americano  Scott Kelly, da Nasa.

Segundo o site da Roscosmos (Agência Espacial Federal da Russia), a nave cargueira Progress M-28M, está levando 2381 kg de carga, incluindo oxigênio, combustível, equipamentos para experimentos científicos, equipamentos e recipientes com comida e água.

Fonte:
http://www.federalspace.ru
https://translate.google.com.br
https://www.google.com.br

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Teoria da Grande Ruptura...

Robert Caldwell, é um físico teórico especializado em cosmologia, que no ano de 2003, expôs essa a teoria que afirma, que a velocidade de expansão do universo pode ser a responsável por uma decomposição de tudo o que existe, colocando fim ao universo.

Entenda a teoria da grande ruptura ou Big Rip:

Consiste no conceito de que uma força chamada "energia escura", que faz o Universo se expandir cada vez mais rápido, porém, nenhuma pessoa até hoje conseguiu legitimar sua existência.

A energia escura é uma forma presumida de energia que estaria disseminada por todo espaço e tem a propensão de acelerar a expansão do Universo.

Essa energia escura, seria uma força que se opõe à matéria escura, um tipo de matéria que não emite nenhum tipo de radiação, por isso não pode ser detectada diretamente pelos cientistas (daí a expressão "escura"), ela só pode ser "observada" a partir de seus efeitos gravitacionais. Tais efeitos supostos tentam explicar as observações que apontam para um universo em expansão acelerada.

Calcula-se que apenas 4% ou 5% do Universo sejam constituído de matéria bariônica (que podemos ver ou medir). Perto de 22% seriam matéria escura e, o excedente seria, energia escura.

O universo está sempre em expansão, e a uma velocidade “controlada”, e sem nenhuma desordem de todos objetos existentes, mas se houver uma desordem, ou seja a expansão começasse aumentar em uma velocidade acima do nível aceitável, resultaria em uma mudança em todo tipo de matéria, a grosso modo, como se todos os objetos começassem se despedaçar.

E com o decorrer do tempo, as galáxias e os planetas se excluiriam, e bilhões de anos depois, até os átomos se desintegrariam.

A teoria alega que tudo se transformaria em mínimas partículas subatômicas (partículas menores que o átomo) , incapazes de se juntar outra vez.

Fonte:
http://www.tecmundo.com.br
https://pt.wikipedia.org
http://noticias.uol.com.br
http://dartmouth.edu
https://www.google.com.br

quinta-feira, 2 de julho de 2015

O que aconteceria se a Terra parasse de girar?...

A terra gira em torno de si mesma e ao redor do Sol, mas se ela parasse de girar em torno do seu próprio eixo de rotação, aconteceria que um dia passaria ser um ano,e então, em seis meses teríamos apenas luz solar, com calor intenso, e os outros seis meses, apenas escuridão, ou seja, noite congelantes.

Muitos acreditam que o lado que está com a luz solar, estaria tão quente, que haveria a evaporação dos oceanos, que causaria o aumento no efeito estufa e a temperatura aumentaria extremamente em todo globo, e o lado que está com a escuridão poderia entrar na era glacial, porque a neve que cairá irá formar uma camada de gelo  tão consistente, que mesmo a luz solar nos outros seis meses não conseguiriam derreter.

Caso ocorra a parada da Terra, isso faria uma grande e catastrófica mudança em todos os reinos da biodiversidade, pois tanto os animais, quanto os vegetais, não conseguiriam sobreviver nessas circunstâncias. E haveria imensas extinções de espécies em geral.

Ademais, também aconteceria um grande desastre no exato instante que o nosso planeta parasse de girar, pois a Terra deixaria de ter uma velocidade de aproximadamente 900 km/h para zero. Nesse momento construções, e edifícios cairiam (lei da inércia), grandes abalos sísmicos afligiriam nosso planeta. Seria uma imensa catástrofe.

Agora se o nosso planeta parasse de girar em torno do Sol, a Terra sairia da sua órbita natural, e iria fazer um rumo em linha reta no universo, e se distanciaria cada vez mais do Sol, e com isso não teríamos mais luz solar, e sendo assim, nenhuma forma de vida conseguiria sobreviver.

Fonte:
http://www.mundoeducacao.com
http://noticias.uol.com.br
https://www.google.com.br